Neurociência na Educação Infantil: como aplicá-la em sala de aula

Descubra mais sobre o que é e como aplicar a neurociência na Educação Infantil.


Professora e alunas da Educação Infantil estudando com tablet em sala de aula.

Em todo o mundo, muitas escolas estão usando princípios da Neurociência na Educação Infantil para promover o interesse e a atenção dos alunos, ajudá-los a se concentrar, manejar suas emoções, reter informações e muito mais.


Cientistas, professores e profissionais da educação reconhecem cada vez mais a importância de entender como o cérebro funciona ao desenvolver as atividades pedagógicas.


Para saber mais sobre essa perspectiva, continue a leitura. A seguir, descubra sobre o conceito e a aplicação de neurociência na Educação Infantil.


Material grátis: Neurociência na educação: como o cérebro aprende!


O que é neurociência?


Em sua forma mais básica, a neurociência é o estudo do sistema nervoso – da estrutura à função, do desenvolvimento à degeneração, na saúde e na doença.


Ela abrange todo o sistema nervoso, com foco principal no cérebro. Incrivelmente complexo, nosso cérebro define quem somos e o que fazemos. Ele armazena nossas memórias e nos permite aprender.


Além disso, nossas células cerebrais e seus circuitos criam novos pensamentos, ideias e movimentos e reforçam os antigos.


Suas conexões individuais (sinapses) são responsáveis pelos primeiros passos de um bebê e pelo subsequente desempenho do aluno, com cada pensamento e movimento exigindo tempo e conexões extremamente precisos.


Em suma, a neurociência representa um conjunto de disciplinas médicas, evolutivas e computacionais que ajuda a promover uma compreensão mais profunda de como as mais de 85 bilhões de células nervosas do cérebro humano nascem, crescem e se interconectam para formar pensamentos e ações.


Na educação, a neurociência é utilizada para ajudar na obtenção de uma maior compreensão de como nossas mentes se desenvolvem, o que influencia as funções de aprendizagem, como obter o engajamento dos alunos, entre outras coisas.


Assista ao vídeo e entenda melhor:


O que é importante saber sobre a neurociência na Educação Infantil?


Podemos associar o crescimento do nosso cérebro com a construção de uma casa. Começa-se com o lançamento das fundações, o enquadramento dos quartos, a cablagem do sistema elétrico e continua-se com características distintivas que conferem à residência a sua individualidade.


A fundação de uma casa pode não ser visível quando se olha para ela, mas todas as partes do imóvel dependem dela. Assim como uma boa base sustenta um lar seguro e eficiente, os primeiros anos de vida de uma criança moldam a sua personalidade e habilidades cognitivas, emocionais e sociais, que darão suporte para ela por toda a vida.


Por isso, compreender como a neurociência na Educação Infantil pode ser utilizada nesta etapa que é crucial para o desenvolvimento da criança é tão importante.


Essa abordagem demonstra que a cognição, a arquitetura cerebral e a aprendizagem estão interligadas e que compreender a importância da saúde emocional como uma base essencial para a cognição e a capacidade de aprendizagem pode ajudar os educadores a desenvolver um ambiente propício à aprendizagem com a neurociência na Educação Infantil.


Ademais, compreender o que leva as crianças a aprender e como superar eventuais barreiras iniciais pode ter um grande impacto no sucesso da aprendizagem ao longo dos anos.


Este conhecimento também ajuda a fundamentar o surgimento e aperfeiçoamento de novas metodologias de ensino. Afinal, os avanços na neurociência nos indicam cada vez mais detalhadamente como a aprendizagem ocorre e, assim, é possível determinar com mais assertividade como estimular o cérebro, a atenção e potencializar a aquisição e retenção de conhecimento.


Assista ao vídeo do nosso consultor educacional Ton Ferreira sobre neurociência:


Como aplicar a neurociência na Educação Infantil em 2022?


A neurociência pode ser utilizada como uma forma de entender questões-chaves no desenvolvimento e na educação da primeira infância.


Em termos práticos, a neurociência na Educação Infantil pode ser utilizada para nortear iniciativas como:


Priorizar acolhimento e bem-estar emocional


As emoções e os relacionamentos ajudam a moldar o nosso cérebro. E o bem-estar emocional e as habilidades sociais fornecem uma base sólida também para o desenvolvimento de habilidades cognitivas.


Dessa forma, as capacidades emocionais, cognitivas e físicas que se desenvolvem nos primeiros anos da infância são a base essencial para o desempenho da criança nos anos posteriores.


Portanto, é essencial priorizar o acolhimento e ajudar o aluno a manejar de forma saudável as suas emoções. Isso contribuirá para que ele tenha senso de pertencimento, se engaje e, também, para favorecer o seu aprendizado.


Valorizar o aprender brincando


A infância é marcada por uma série de novas descobertas. E, se associadas a elementos lúdicos, elas podem ser ainda mais prazerosas e significativas para a criança.


Por exemplo, na perspectiva da neurociência na Educação Infantil, as brincadeiras acionam os centros de recompensa do cérebro, desencadeando uma substância química do bem-estar chamada dopamina.


Por sua vez, a presença da dopamina mais alta está ligada a uma melhor memória, atenção, criatividade, flexibilidade mental e motivação.


Saiba mais: 5 brincadeiras para estimular a aprendizagem com segurança!


Estimular a interação com diferentes materiais


As crianças também "aprendem com as mãos"; elas gostam de tocar nos brinquedos ou em materiais para descobrir mais sobre eles.


Essa forma de aprendizado é chamada de experiência prática. O cérebro está recebendo informações de todos os sentidos, e isso contribui para que ele se desenvolva e para que a criança compreenda mais sobre o mundo que a rodeia.


Saiba mais: Como as famílias podem auxiliar na aprendizagem por meio de brincadeiras!


Propor experiências sensoriais


As crianças são cientistas naturais – elas vêm ao mundo prontas para experimentar e aprender brincando.


E elas usam o que descobrem não apenas para adaptar a estrutura de seus cérebros, como, também, para fortalecer as habilidades de que precisam para continuar se desenvolvendo.


Essas experiências são importantes para formar novas sinapses e fortalecer conexões existentes.


Assim, busque fornecer um ambiente seguro e preparado, repleto de atividades interessantes, que despertem a curiosidade e que envolvam os sentidos e uma experiência prática relacionada à idade da criança e associada aos objetivos pedagógicos.


Assista à nossa live completa sobre Neurociência:


O Blog da Faz Educação sempre se atualiza com o que há de mais recente na educação. Acompanhe!


Aproveite também o acesso liberado de todos os nossos Materiais Educativos Exclusivos!

163 visualizações0 comentário