5 dicas para atender alunos com deficiência física nas escolas

Conheça a importância de uma inclusão efetiva dos alunos com deficiência física e saiba como isso pode ser trabalhado no ambiente educacional.


Menino deficiente físico em uma cadeira de rodas na escola.

Os alunos com deficiência física enfrentam inúmeros obstáculos em sua vida. Afinal, a falta de acessibilidade arquitetônica ainda é uma constante em playgrounds, parques, praias, entre outros ambientes frequentados por eles.


Isso faz com que a preocupação da escola em relação a acessibilidade seja ainda mais importante. Afinal, para que os alunos com se interessem pelo conteúdo e busquem sempre pelo conhecimento, eles têm que se sentir acolhidos e respeitados. E isso só é possível quando a instituição de ensino se preocupa com a inclusão.


Os cuidados são necessários tanto em relação ao ambiente físico, quanto na hora de preparar uma atividade para a aula de educação física, por exemplo. Mas será que a escola está realmente preparada para isso?


Para colaborar com essa adequação, preparamos algumas dicas importantes para a inclusão de alunos com deficiência física nas escolas. Confira!


Importância da inclusão dos alunos com deficiência física


Inicialmente, é válido recordar que o acesso de alunos com deficiência física está previsto na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional - LDB (Lei 9.394/96). De acordo com ela, todos os estudantes devem ter acesso a um ambiente que proporcione a eles as condições adequadas para:


  • Desenvolver habilidades cognitivas;

  • Trabalhar a socialização;

  • Desenvolver as competências socioemocionais.


Assim, garantir a inclusão de alunos com deficiência física é essencial para estar dentro do que determina a LDB. Além disso, cabe à instituição se preocupar em atender a todos os discentes e a integrá-los na sociedade. Dessa forma, segundo a publicação do Aprendizagem em Foco, a escola:


  • Ensina os estudantes a respeitarem os demais;

  • Ajuda na compreensão de que todos são diferentes, de que cada um tem as suas necessidades e de que isso deverá ser respeitado;

  • Colabora para que a instituição ofereça uma formação de qualidade;

  • Ajuda a preparar os alunos para a vida adulta e para que se tornem transformadores na sociedade;

  • Garante o bem-estar físico e mental dos alunos;

  • Valoriza a diversidade.


Dicas de como preparar a escola para receber alunos com deficiência física


Veja a seguir algumas dicas para receber as crianças com deficiência física nas instituições de ensino.


Faça as adaptações arquitetônicas necessárias


O estudante, assim como os demais, tem direito de acessar toda a instituição, de maneira fácil e segura. Para isso, é indicada a colocação de rampas de acesso para permitir que o aluno transite e chegue à sala de aula, quadra, biblioteca e outros ambientes.


Vale lembrar que ele também deve ter acesso ao piso superior, quando houver. Para isso, caso seja um prédio grande, as rampas devem ser cuidadosamente projetadas e os corrimões precisam ser colocados em duas alturas. Um deles com 0,70m e outro 0,92m, para que possa atender a todos.


No entanto, na maioria das vezes, o mais adequado para as escolas é investir em um elevador ou em plataforma elevatória que possa levar o aluno a todos os andares. É possível encontrar elevadores para cadeira de rodas, que ocupam pouco espaço e possuem um custo menor do que o da rampa.


Fique atento às portas, banheiros e móveis


Por vezes, na hora de reformar um espaço para deixá-lo acessível, as pessoas até se lembram das rampas, mas se esquecem das portas. Todos os ambientes escolares devem ter portas largas, que permitam que uma cadeira de rodas passe por ela sem nenhum transtorno.


Para isso, a largura mínima recomendada é de 0,8m. Outro ponto importante é quanto às maçanetas. As redondas são mais difíceis de serem abertas e, por isso, devem ser evitadas. Prefira as de alavanca.


Outro ponto importante é garantir que o aluno tenha um ambiente adequado dentro da sala de aula. Para isso, a escola deve disponibilizar carteiras adaptadas para cadeirantes e garantir que eles terão o espaço necessário para chegar até elas.


Por fim, os banheiros devem ser adaptados. Para isso, é importante garantir a porta mais larga, os vaso adaptado e barras de apoio.


Treine a equipe


A inclusão de alunos com deficiência física deve ser tema de treinamento tanto de docentes, quanto dos demais profissionais que atuam na instituição de ensino. Por isso, é importante que todos eles recebam o treinamento adequado. Assim, saberão receber o estudante e atuar de forma que facilitem a vida estudantil dele.


Sinalize


Por falar em deixar a rotina dos alunos com deficiência física mais adequada dentro da escola, é necessário que a instituição de ensino seja corretamente sinalizada, como sugere o estudo de caso publicado pela UFPE. Em suma, o discente precisa encontrar, com facilidade, por exemplo:


  • Qual banheiro é adaptado para cadeirantes;

  • Local da rampa de acesso, quando o prédio conta também com escadarias;

  • Estacionamento reservado, entre outros.


Garanta que todos possam participar das atividades


Os alunos com deficiência física devem ter fácil acesso a todos os ambientes e também precisam poder participar de tudo. Para isso, é importante que nos eventos escolares eles também tenham como estar ativos e presentes.


Por exemplo, a escola pode ensinar vôlei sentado para todos e colocar essa modalidade na competição esportiva escolar. O mesmo vale para qualquer outro evento programado. É importante garantir que o estudante se sinta incluído.


Em suma, a inclusão de alunos com deficiência física deve ser constantemente trabalhada na escola, tanto no espaço físico, quanto no social.


Uma maneira de inserir esse assunto com os colaboradores e pais é por meio de filmes. Veja a indicação de seis longas que atendem bem a esse debate.


Assista à live completa sobre os protocolos para a Educação Inclusiva com o consultor educacional Ton Ferreira:


Este artigo é uma iniciativa do Movimento Juntos Pela Inclusão! 💙💜


Clique aqui e conheça o movimento que já impactou mais de 10 mil educadores em todas as regiões do Brasil, apresentando cases de sucesso e soluções para este grande desafio. 💙💜

554 visualizações0 comentário