Como trabalhar com alunos com Deficiência Intelectual e Múltipla

Conheça hoje quatro pontos para refletir sobre as formas de trabalhar com alunos com deficiência intelectual e múltipla.


Trabalhar com alunos com Deficiência Intelectual e Múltipla pode ser um desafio para muitos professores.


Mas com um olhar mais acolhedor, que identifique, valorize e comemore a capacidade que todo mundo tem de superar seus limites - que também são comuns a todos -, o trabalho fica muito mais fácil!


Conheça hoje quatro pontos para refletirmos, juntos, sobre as formas de perceber, valorizar e contribuir com a aprendizagem de alunos com Deficiência Intelectual e Múltipla!


Veja mais em nosso blog: como anda a saúde mental dos professores durante a pandemia? Confira 5 dicas para cuidar das nossas emoções!


1 - Conheça seu aluno para além do seu diagnóstico de Deficiência Intelectual e Múltipla


Nós somos seres que aprendem, basicamente, por associação.


Quando o que desejamos aprender se relaciona com algum aspecto da nossa vida, a aprendizagem adquire sentido e, consequentemente, valor.


Portanto, uma das formas mais efetivas de educar é relacionar o conhecimento aprendido com a própria vida do aluno, dotando o conhecimento, portanto, de valor.

É por isso que sempre que formos preparar uma aula devemos levar em conta alguns aspectos:

  • Quem e como são os meus alunos?

  • Quais são os seus principais interesses?

  • Do que nossos alunos não gostam?

  • Quais são as coisas mais importantes nas vidas deles?

  • O que eles mais gostam de fazer e quais são as suas maiores habilidades?

  • Quais são as dificuldades que o nosso aluno enfrenta no dia a dia?

  • Existe algum modelo de aprendizagem mais adequado para o perfil do meu aluno?

Diante dessas perguntas e das respostas que podemos dar a elas, saberemos identificar qual é a melhor forma, e o que podemos ensinar nossos alunos com Deficiência Intelectual e Múltipla.


Veja mais em nosso blog: conheça formas de implementar metodologias ativas para desenvolver à distância.


2 - Quando despertamos a emoção, mais e melhor aprendemos


Nós aprendemos mais e melhor quando as nossas emoções são despertadas porque costumamos associar o que aprendemos com a sensação que sentimos naquele momento.


Sempre que alguma coisa importante acontece em nossa vida acabamos nos tornando capazes de recordar, mesmo depois de algum tempo, dos detalhes que envolveram aquele momento.


Tudo o que você lembra, de alguma forma, só é lembrado porque adquire significado em sua vida e, portanto, valor.


Quando se trata do processo educacional, costumamos fixar por mais tempo tudo aquilo que acaba despertando nossas emoções.


Para melhor ensinar, associe sempre o objeto do aprendizado com alguma emoção que seu aluno demonstra, utilizando objetos que ele gosta, memórias ou ambientes como contexto.


Veja mais em nosso blog: conheça quais são as competências e as habilidades que professores devem desenvolver para os novos tempos.


3 - Dê mais sentido ao que será ensinado para que alunos com Deficiência Intelectual e Múltipla possam aprender melhor


Quando o aprendizado tem significado e valor, alunos com Deficiência Intelectual e Múltipla acabam prestando mais atenção ao que está sendo ensinado.


Não abra mão da ideia de maximizar o significado dado a cada coisa ensinada, sobretudo para que o que é ensinado ganhe mais valor.


Para isso, identifique exatamente do que o seu aluno gosta e aplique isso tudo como exemplo para ensinar.


Se seu aluno ama bola, utilize bola como exemplo quando ensiná-lo a ler ou a escrever.

Dessa forma, é possível dar mais valor ao que se ensina e, consequentemente, ao que se aprende.


Veja mais em nosso blog: 5 dicas para melhorar a concentração nos estudos.


4 - Utilize o reforço positivo como incentivo para a aprendizagem


Um aluno com Deficiência Intelectual e Múltipla precisa de mais reforço positivo que os seus outros alunos.


O reforço positivo vai muito além do que simplesmente elogiar quando algo bom acontece.


Entregue ao seu aluno algo que ele valorize - e que seja apropriado a ele - sempre que ele aprender alguma coisa. Pode ser um bilhetinho elogioso, uma bala, um abraço ou vários sorrisos.


Repita a mesma ação quando outras coisas positivas acontecerem, sempre valorizando e comemorando cada vitória do seu aluno.


Essa atitude transforma a educação em um processo afetivo, respeitoso e, sobretudo, humanizado.


Quer saber mais sobre educação humanizada?


Acesse agora mesmo nosso blog e conte com os melhores conteúdos educacionais!

159 visualizações

© Copyright 2017 - 2019 | Faz Educação & Tecnologia