Como fazer a sala de aula invertida na Educação Infantil?

A sala de aula invertida é uma experiência em que o aluno se torna o protagonista da sua formação educacional. Entenda como aplicar!

A Educação Infantil, obviamente, possui especificidades que estão relacionadas à comunicação, à forma de apresentação de conteúdos, de propostas de aprendizagem e, ainda, às atividades que serão propostas ao corpo discente.


Por conta da fase de vida, de aprendizagem e também da própria sequência escolar, muitos pensam que a criança não é capaz de ser um agente mais participativo de sua formação.


E é justamente nisso que tantos erram.


A criança é um ser muito observador, que aprende através de suas experiências e da repetição.


Por conta de toda a sua curiosidade e dessa forma de observar o mundo, naturalmente as formas ativas educacionais são muito válidas para se inserir no contexto da Educação Infantil.


Veja, agora, algumas considerações importantes sobre a sala de aula invertida na Educação Infantil e algumas ideias para se colocar em prática!


Saiba mais: Dicas de ações de acolhimento para alunos na escola!


Por que a sala de aula invertida funciona sim na Educação Infantil?


A sala de aula invertida é um conceito revolucionário de educação, em que o professor atua enquanto mediador dos conteúdos e o aluno assume o papel de protagonista em sua incursão pelo conhecimento.


Nada mais especial que o momento da Educação Infantil para que a sala de aula invertida aconteça.


É o momento em que as crianças estão mais ativas, mais curiosas, mais interessadas por experiências novas em suas vidas.


A atenção, embora mais “encurtada” pela falta de treinamento, pode ser também uma forma de tornar multidirecional o foco de aprendizado, promovendo várias experiências ao mesmo tempo.


Da mesma forma, enquanto os aspectos comunicativos ainda se formam, a criança experimenta sem medo de errar a busca por palavras e por elaborar conceitos que reflitam o que ela tenta exprimir.


Com isso, sim: A sala de aula invertida se torna ainda mais especial para a Educação Infantil!


Veja agora algumas experiências que podem nortear a incursão dos seus alunos por metodologias ativas!


Saiba mais: Como a tecnologia aplicada às metodologias ativas ajudam no avanço do IDEB!


O aprendizado através da brincadeira


Quando uma criança está brincando, ela pode experimentar e observar dezenas de fenômenos que podem despertar - e muito - a sua curiosidade.


Se você, enquanto familiar, já viveu a fase dos porques, sabe muito bem o quanto uma criança observa o mundo ao seu redor e o quanto aprende através dessa observação.


Em casa, uma criança pode experimentar diversas interações divertidas através do simples ato de brincar.


Experimente, por exemplo, fazer uma brincadeira com aviões de papel ou com barquinhos de papel em uma bacia de água.


A partir das observações da criança - o avião plana, o barquinho não afunda -, é possível traçar um roteiro de muito estudo sem abrir mão da diversão.


Quer tentar?


Faça experiências com sementes de feijão em algodão, relate com a criança o crescimento dela e registre, de acordo com os critérios definidos pelo professor, todas as interações que forem promovidas pelo experimento.


A criança, em sua própria forma de falar, poderá compartilhar todas as suas observações com seus colegas de sala, que poderão também compartilhar o que observaram, a forma que experenciaram isso tudo.


Saiba mais: Acolhimento emocional x aplicação de conteúdo: o que priorizar?


Rotação por estações


A partir das experiências que as crianças trocarem, grupos podem ser formados com objetivos e práticas diferentes entre si.


Uma vez formados os grupos, temos as estações.


A rotação por estações pressupõe que todos poderão experimentar diversas experiências interessantes e ainda compartilhar as suas observações entre si.


Com a rotação por estações, é essencial que o professor sempre busque intermediar a comunicação entre os estudantes, de forma que seja possível também extrair disso tudo conceitos que possam ser depois apresentados de forma mais teórica aos alunos.


É possível, através dessa metodologia, introduzir conceitos de diversas matérias e, ainda, criar um ambiente em que os próprios alunos dividam o conhecimento produzido por eles, seja de forma isolada, seja em forma conjunta.


Mesmo no ensino remoto é possível criar um ambiente de aprendizagem compartilhada através dos conceitos da sala de aula invertida.


Aproveite para introduzir também os pais nessa jornada, de forma que eles também possam compartilhar, entre eles, as experiências que mediaram junto aos seus filhos e os resultados que obtiveram!


Saiba mais: Como acolher as crianças sem o toque na retomada das aulas?


Esse artigo te ajudou? Pesquise outras dúvidas no Blog da Faz Educação!


Aproveite e garanta agora mesmo o eBook Como revolucionar o ensino com as Metodologias Ativas!

317 visualizações0 comentário