6 passos para estimular o protagonismo dos alunos

Falamos muito sobre o protagonismo dos alunos. Mas como ele funciona na prática? Confira 6 dicas para incentivá-lo em sala de aula.

Quando falamos sobre novos métodos pedagógicos e modelos de ensino, o protagonismo dos alunos sempre entra em questão. Falamos de como devemos centralizar as aulas nos estudantes e tirar o foco dos professores.


Mas como isso funciona, na prática? Mesmo professores e escolas que querem fazer isso, muitas vezes, não sabem como. Afinal, temos um modelo de educação muito engessado, do qual pode ser difícil se livrar.


Para deixar essa tarefa mais simples, sugerimos abaixo 6 dicas práticas para estimular o protagonismo dos alunos. Continue sua leitura e saiba mais!


1. Não dê respostas prontas


Durante muitos anos, a função do professor foi vista assim: alguém para dar respostas prontas para as dúvidas dos alunos. Essa atitude centra as aulas em torno do professor e não estimula o protagonismo dos estudantes.


Tirar dúvidas, auxiliar e mesmo avaliar se a reposta está certa não é o problema, mas sim dar respostas arbitrárias e imediatas. Isso faz com que os alunos decorem a informação em vez de busca-la, entende-la, chegar até ela.


Saiba mais sobre como nós aprendemos!


Por isso, para incentivar o protagonismo dos alunos, o professor deve ser um auxiliar, um guia, e não um livro de respostas.


2. Valorize a experimentação


Em uma sala de aula centrada nos alunos, a experimentação precisa ser valorizada. Afinal, quando não existem respostas prontas, os estudantes precisam ir atrás das respostas. Isso significa pesquisar, estudar, criar, fazer experiências, questionar, buscar relatos e avaliar o que foi encontrado.


A experimentação não precisa se ater às aulas de ciências. Experimentar ao aprender Matemática, História ou até mesmo idiomas é essencial. Estimular o protagonismo do aluno significa permitir que ele tente aprender pelos próprios meios.


3. Crie um ambiente que acolha o erro


Um dos maiores medos dos alunos em sala de aula é cometer um erro. Isso vem de anos de métodos em que o aluno era castigado ou ridicularizado por errar. Mas o erro faz parte da aprendizagem – e é uma parte muito importante da experimentação.


Por isso, para que o aluno seja protagonista do seu aprendizado, é preciso acolher os erros. Considerá-los não apenas como normais, mas como esperados e bem-vindos. Sem punições ou piadas, o erro deve ser recebido como uma parte do processo de aprendizagem, bem como o acerto.


Enfrentar os erros como uma parte do processo ajuda no desenvolvimento socioemocional dos alunos.


Quando seus alunos perdem o medo de errar, eles tentam, experimentam e chegam às próprias conclusões com mais frequência. E o protagonismo se torna algo mais natural.


4. Permita o protagonismo dos alunos na criação das aulas


É claro que todas as escolas têm seu currículo base, que deve ser seguido para que a progressão do ensino seja completa. Mas muitas partes desse currículo não são estanques, dando a oportunidade para o professor criar aulas, projetos e desafios interessantes.


A ideia, aqui, é que o professor não faça isso sozinho. Perguntar a opinião dos alunos, dar opções e pedir ideias é uma maneira de criar essas aulas, desafios e projetos de maneira coletiva. Assim, você incentiva ainda mais o protagonismo dos alunos, que podem escolher os próprios meios e ferramentas de aprendizado.


Colocar os alunos no centro das aulas significa mudar o papel do professor!


5. Incentive o debate


Por muito tempo, por questões políticas e culturais, as escolas precisavam impor um ponto de vista sobre assuntos sensíveis. Esses tempos acabaram: cada vez mais temos oportunidades de discutir, pesquisar e falar sobre nossas opiniões.


Seja com debates propriamente ditos ou com a participação em fóruns, os alunos precisam aprender a lidar com situações em que não há uma resposta certa. Tanto defendendo seu ponto de vista quanto respeitando e compreendendo o do outro, é importante participar dessas discussões para aprender a se posicionar.


6. Possibilite a tomada de decisões


Por fim, permita que os alunos tomem decisões em sala de aula. Criando projetos autorais, participando de votações ou mesmo sendo parte ativa da preparação de aulas.

Isso mostra que eles são, de fato, os personagens principais desse processo, e podem encontrar o próprio caminho por meio da pesquisa, da experimentação e do erro.


O protagonismo dos alunos em sala de aula faz parte de novos métodos pedagógicos que sempre estão presentes no Blog da Faz Educação!


Aproveite e garanta os eBooks fundamentais para as aprendizagens de 2021 no Kit Melhores Conteúdos Educacionais de 2020!

205 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo