O que são metodologias Hands On?

Atualizado: Mar 4




As metodologias Hands On são experiências de aprendizagem nas quais o aluno é o protagonista e o desenvolvedor da aprendizagem em atividades nas quais será necessário planejar, criar, colocar a “mão na massa” e construir produtos ou protótipos que derivem em soluções criativas para os problemas cotidianos, utilizando a capacidade de criação para resolver um problema, tornado a solução algo palpável e possível de ser aplicado no cotidiano. Por exemplo: Se os alunos de 4º ano do ensino fundamental estão estudando doenças relacionadas à água, eles não estudarão apenas os meios para manter rios e mananciais sem contaminações. O ideal é que os alunos possam, por meio de experiências em espaços como oficinas, laboratórios ou galpões, criar meios de filtrar a água como a filtração de água com areia.


Por serem integradoras, as metodologias Hands On promovem a compreensão da realidade, de modo mais complexo, alterando positivamente o processo de ensino-aprendizagem e tornando a sala de aula um modelo de aprendizagem compatível com o mundo atual, o chamado mundo VUCA – Um mundo volátil, incerto, complexo e ambíguo.


Diante desta evolução na maneira de aprender e também da evolução da maneira como todos os seres humanos produzem, consomem, se relacionam e buscam informações, os alunos que passam pelas metodologias Hands On conseguem resolver desafios cotidianos, pois desenvolvem as capacidades transversais como aprender a aprender, interagir, ter empatia, se expressar, além de constantemente aprender com seus erros e fazer reflexões acerca das atividades que desenvolvem. Além disso, o aluno que tem acesso às metodologias Hands On consegue reter 80% do conteúdo a que teve acesso, segundo a pirâmide de aprendizagem de William Glasser.


Além de ser uma tendência na educação, as escolas do mundo todo têm buscado as metodologias Hands On como a Aprendizagem Baseada em Projetos, o Design Thinking e as práticas STEAM para ampliar o desenvolvimento da capacidade de resolução de problemas dos alunos, da curiosidade intelectual, valorizando a diversidade de saberes e vivências e apropriando-se de conhecimentos e experiências além do seu domínio, competências que estão descritas na BNCC - Base Nacional Comum Curricular.


Para os professores, o desenvolvimento das metodologias Hands On requer um planejamento das ações que serão realizadas, um olhar bastante apurado e mais atenção no processo de criação do que propriamente no produto que será desenvolvido, bem como a estruturação das atividades em espaços makers onde os alunos farão as atividades práticas ou ainda a adaptação a própria sala de aula para que as práticas integrem os conteúdos propostos no currículo.


Por fim, podemos dizer que as metodologias Hands On vão além da proposta curricular ou de habilidades para o mercado de trabalho. São formas de transformar a educação em um processo ativo e construtivo, um processo em constante desenvolvimento e preparo para situações da vida real.


Aproveite e veja também o Faz Responde sobre o assunto:



*Gisele Vitório é Pedagoga e Tecnóloga em Gestão em Recursos Humanos, Treinadora Internacional da Aprendizagem Cooperativa-Kagan. Atua como consultora educacional e possui experiência em coordenação e sala de aula em instituição de ensino profissional. Já atuou como professora técnica, expositora e facilitadora de aprendizagem em oficinas de simpósios e eventos internacionais de educação.

0 visualização

© Copyright 2017 - 2019 | Faz Educação & Tecnologia