Como aplicar a metodologia ativa Design Thinking na sala de aula

Atualizado: Mar 4


Você já ouviu falar sobre a metodologia Design Thinking? Essa metodologia foi criada pelo professor David Kelley, da Universidade de Stanford, e Tim Brown, ambos consultores da empresa IEDO, localizada no Vale do Silício, na Califórnia.


Em resumo, o Design Thinking busca a resolução de problemas utilizando a aprendizagem investigativa, de maneira colaborativa, em grupo e desenvolvendo a empatia. O aluno se torna protagonista da sua aprendizagem, ampliando seu conhecimento, escutando e se comunicando com demais alunos, desenvolvendo habilidades diferentes para a execução de suas atividades.


A metodologia é aplicada da seguinte maneira:


1. Descoberta – estimular a curiosidade dos alunos.

Apresentação da situação-problema aos alunos de maneira que eles reflitam sobre seu conhecimento prévio, busquem múltiplas soluções e formem grupos. É o momento do brainstorm (chuvas de ideias), quando os alunos devem falar todas as suas ideias de resoluções, trabalhando sua confiança e empatia ao ouvir os demais.


2. Experimentação – planejamento.

Filtrar o brainstorm, listando as ideias possíveis para a resolução da situação-problema.

Nesse momento, é importante mostrar aos grupos a necessidade da criação de um plano de ação, refletindo sobre todas as ideias citadas, organizando suas possibilidades e suas execuções para chegar ao resultado esperado.


3. Evolução – mãos na massa.

Agora é o momento de colocar na prática o que foi planejado e acordado entre os integrantes do grupo. O professor tem o papel de mediador e orientador, apresentando sugestões para a organização das tarefas, utilização de dispositivos tecnológicos para a documentação das etapas do desenvolvimento e uso de materiais. É importante destacar que cada etapa do desenvolvimento é construída de maneira coletiva, com o empenho e respeito dos alunos.


4. Apresentação.

Ao finalizarem, cada grupo deve apresentar o seu trabalho, mostrando que diferentes ideias podem ser utilizadas para a resolução de uma situação e que o trabalho em grupo amplia essas percepções.


5. Feedback para os alunos.

Esse momento é muito importante, pois os alunos precisam receber um retorno sobre o trabalho executado, o que pode ser melhorado e sugestões sobre o aprimoramento de cada etapa realizada para os próximos trabalhos.


6. Feedback dos alunos.

Os alunos devem refletir sobre suas tarefas e expor suas opiniões, o que aprenderam em todo o processo de execução, o resultado, as habilidades trabalhadas e o aprendizado adquirido sobre o conteúdo.


A metodologia Design Thinking é inovadora e o seu foco é o desenvolvimento interpessoal e intrapessoal de nossos alunos, trabalhando as 10 Competências Gerais da BNCC (Conhecimento; Pensamento científico, crítico e criativo; Repertório cultural; Comunicação; Cultura digital; Trabalho e projeto de vida; Argumentação; Autoconhecimento e autocuidado; Empatia e cooperação; Responsabilidade e cidadania) e a autonomia dos alunos, para se tornarem cidadãos do mundo.


*Regiane Castro é formada em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, com pós-graduação em Ensino de Matemática. Atua na área de educação há 10 anos e atualmente faz MBA em Gestão de Tecnologia da Informação, Pedagogia e pós-graduação em A moderna educação: metodologias, tendências e foco no aluno pela PUC Rio Grande do Sul. Atualmente trabalha em pesquisa e desenvolvimento de produtos educacionais e possui certificação Apple Professional Learning Provider.

0 visualização

© Copyright 2017 - 2019 | Faz Educação & Tecnologia