Como identificar as dificuldades de aprendizagem dos alunos em tempos de pandemia

As dificuldades de aprendizagem além dos muros da escola: 1,5 bilhão de alunos tiveram sua rotina de estudos presenciais afetada.


A pandemia causada pelo novo Coronavírus, estima-se, retirou das escolas cerca de 1,5 bilhão de alunos, por todo o mundo. Com isso, a proximidade entre discentes e o corpo docente, que antes era decisiva para o rápido diagnóstico e encaminhamento das dificuldades de aprendizagem, acabou por se tornar mais um entrave para o bom desenvolvimento das relações educacionais em tempo de pandemia.


Diante disso, é essencial que os profissionais, sobretudo com o apoio da equipe pedagógica, possam se prevenir e encontrar estratégias para lidar de forma mais positiva, aproximando seus alunos, com todas as dificuldades que possam surgir.

No entanto, quando as dificuldades de aprendizagem se manifestam, é necessário que haja um olhar um tanto mais atento para o dia a dia da criança.


Sobretudo porque essas dificuldades podem se dar por conta de fatores ambientais e também de fatores emocionais.


Enquanto fatores ambientais, podemos destacar:

  • Falta de local adequado para estudar;

  • Dispersão causada por interferências externas durante as aulas;

  • Inadequação das ferramentas necessárias para o estudo;

  • Inviabilidade tecnológica para proporcionar conexão com o ambiente virtual de aulas.

Já entre os fatores emocionais, destacam-se:

  • Dificuldades em concentrar-se;

  • Vivência do luto causado por perdas familiares;

  • Dificuldades preliminares relacionadas à aprendizagem;

  • Sensação de ansiedade ou de depressão relacionadas ao distanciamento social.

Enquanto estratégias, a equipe pedagógica, juntamente com seu corpo docente, pode traçar formas de aproximar a comunicação entre escola e familiares.


Assim, com o acompanhamento das atividades escolares e com orientações a respeito do que é possível ser feito para adequar o ambiente de aprendizagem.


Com as necessárias adequações, há melhor aproveitamento das aulas e conteúdos proporcionados pelo professor.


Como elaborar estratégias para impedir dificuldades de aprendizagem com o distanciamento social?


Todas as estratégias elaboradas para minimizar os efeitos do distanciamento social sobre a aprendizagem devem ser alinhadas com os familiares do discente, sobretudo agora, em que, com o ensino remoto, os familiares são aqueles mais próximos do aluno.


Com o devido acompanhamento das atividades educacionais propostas pela escola, é possível criar formas de intervir e de melhor participar da formação das crianças e jovens.


Essa participação deve ser ativa, o que quer dizer que deve acompanhar os momentos de aula e sobretudo os momentos em que as atividades domiciliares são realizadas.


Já aqueles instantes de estudos complementares, tão necessários para o bom desenvolvimento do aluno também devem ser acompanhados rigorosamente.


É através desse acompanhamento, tão necessário hoje, tanto quanto quando estamos em condições regulares de ensino, que é possível minorar os efeitos das dificuldades de aprendizagem.


Assim, familiares podem criar momentos de estudo, dinamizarem as relações com tarefas, trabalhos e demais solicitações do corpo docente, o que faz com que a educação, por si, se torne mais produtiva também.


Quais são os primeiros sinais de dificuldades de aprendizagem?


Os primeiros sinais de dificuldades de aprendizagem podem ser facilmente identificados.


Observando a rotina de estudos da criança, é possível criar também formas de intervir no processo de aprendizagem, atenuando suas dificuldades.


Dislexia

  • Pode se manifestar através da dificuldade para ler e escrever;

  • Causa atraso na habilidade de aprender a ler;

  • Se torna mais difícil memorizar regras de ortografia e gramática;

  • A criança se torna mais dispersa e tem dificuldades para se manter atenta por mais tempo.

Disgrafia

  • Se manifesta através da dificuldade em manter a fluência da escrita;

  • As letras escritas não obedecem um padrão de tamanho;

  • A criança pode escrever letras de forma sobreposta;

  • O alinhamento entre palavras pode ser também variável.

Discalculia

  • A criança manifesta dificuldades em fazer operações matemáticas;

  • As dificuldades operacionais são aquelas que se manifestam impedindo a criança de fazer operações matemáticas, ainda que sejam muito simples;

  • Já as dificuldades gráficas se manifestam através da confusão ao escrever símbolos matemáticos;

  • A dificuldade relacionada ao léxico matemático se manifesta através da confusão entre símbolos, números, expressões e equações;

  • E, por fim, as dificuldades verbais podem atrasar a compreensão de conceitos matemáticos.

TDAH (Transtorno do Déficit de Atenção com Hiperatividade)

  • O TDAH pode se manifestar através da autoestima baixa, em dificuldades com relacionamentos e também com a aprendizagem;

  • Ansiedade, esquecimento, falta de atenção, comportamento disperso e agitação também podem se manifestar.


A Faz Educação tem muitos materiais para quem quer entender mais como trabalhar com as emoções dos alunos. Saiba como lidar com a ansiedade em meio à pandemia!

0 visualização

© Copyright 2017 - 2019 | Faz Educação & Tecnologia