Evasão escolar: entenda as principais causas

Atualizado: Abr 8

A evasão escolar está ligada às condições socioeconômicas, dificuldades de aprendizagem e até mesmo à gravidez na adolescência


A escola compete, desde a sua origem, com todas as mazelas que a sociedade em sua organização pode proporcionar.


Isso se manifesta entre o grupo discente através da evasão, do baixo rendimento escolar e até mesmo através da dificuldade em aprender.


Se a escola, o aprendizado, o mercado de trabalho e todo o resultado da organização social participam de forma intrínseca da sociedade, é também responsabilidade dela prevenir a evasão escolar.


No entanto, com todas as nossas limitações enquanto educadores - seja do nível ou formação que for - de que forma podemos acolher e, sobretudo, evitar que o discente se evada?


A resposta se concentra naturalmente em reconhecermos quais são as principais causas da evasão escolar e sobretudo, em acolhermos, logo ao identificarmos, o discente que se inclina a desistir, abreviar ou adiar sua formação escolar.


A seguir, acompanhe conosco quais são as principais causas da evasão escolar.


A evasão escolar pode ser causada por carência econômica


Não é raro nos depararmos com carteiras vagas nas salas de aula por onde passamos ao longo de um ano letivo.


Ao investigarmos as causas - seja convocando os responsáveis ou conversando com o discente -, a carência econômica pode figurar como uma das responsáveis diretas.


Muitos relatam a falta de condição econômica para comprar o material escolar, manter as passagens de ônibus e até mesmo comprar o uniforme requerido pela instituição educacional.


Diante disso, é sempre necessário reforçar que a escola não pode e nem impedirá a frequência do aluno por falta de condições materiais.


E, mais que isso, reforçar que, através da formação, conseguimos também modificar nossa situação econômica.


No entanto, como meio de garantir a permanência do discente em ambiente escolar, é necessário ter como ferramenta a informação.


Assim, levar aos responsáveis pelo discente a existência de programas sociais que podem contribuir positivamente na economia familiar é um primeiro instrumento para a adesão.


O Bolsa Família, por exemplo, tem como prerrogativa para a concessão a frequência escolar de todos os filhos dependentes diretos do beneficiário. Isso permite que a criança ou o adolescente tenha acesso à escola e, sobretudo, tenha também garantida a sua permanência.


Em outros casos, a necessidade de contribuir com o rendimento familiar faz muitos jovens abandonar a educação formal.


Assim, conduzi-lo ao ensino noturno ou mesmo buscar, enquanto alternativa, o programa do Menor Aprendiz, que também tem como requisito para a contratação o vínculo e a frequência escolar.


Gravidez na adolescência, envolvimento com drogas e violência


A gravidez na adolescência, o envolvimento com drogas e a violência que pode acometer a localidade onde que o discente reside ou o entorno escolar podem ser causas da evasão escolar. Para todos os fatores, o acolhimento é essencial, tanto por parte do docente quanto pela comunidade escolar.


No primeiro caso, é sempre necessário reforçar com a adolescente gestante que ela tem o direito de ter, sempre que necessitar, atividades de avaliação domiciliar.


O mesmo direito também se reserva a outros discentes que tenham qualquer afastamento médico que possa comprometer a sua formação escolar.


Já quando se diagnostica o envolvimento com drogas, é essencial que a escola também acolha o discente, promovendo sempre um canal aberto ao diálogo, sem julgamentos.


Assim, conseguimos criar um elo que, sobretudo, reserva ao aluno um lugar para recorrer, um reduto de confiança.


Diante desse quadro, também é essencial que medidas preventivas também sejam constituídas na escola.


Seja em parceria com a unidade básica de saúde, com universidades ou com programas sociais, é necessário sempre levar ao colégio formação preventiva.


É necessário falar sobre a sexualidade, sobre as drogas e sobre a violência, sempre criando canais de comunicação entre o discente e a comunidade escolar, da qual ele também faz parte.


A evasão escolar: como prevenir?


Quando refletimos sobre as causas da evasão escolar, observamos que o distanciamento da escola com a família pode ser um ponto crucial para o insucesso do processo educacional.


Assim, como medida preventiva, é essencial manter família e escola próximas.


Isso pode ser criado não só por meio de reuniões periódicas, mas tornando a escola um ambiente participativo e atraente a todos.


Dessa maneira, é possível traçar ações conjuntas que podem, por sua vez, contribuir decisivamente para a formação do discente.


Quer conhecer outras estratégias para envolver família e escola? Acesse agora mesmo o nosso artigo!


Aproveite e veja também o Faz Responde sobre o assunto:


36 visualizações

© Copyright 2017 - 2020 | Faz Educação & Tecnologia