5 etapas que compõem a metodologia de Design Thinking na educação

Atualizado: Mar 4


O Design Thinking (DT) é uma abordagem que enxerga a maneira como o designer pensa em solução de problemas, centrada na necessidade humana, provocando a inovação e a prática constante. Assim, quando utilizada a abordagem de Design Thinking na solução de problemas, contribui-se para o desenvolvimento integral de habilidades como criatividade, colaboração, tomada de decisão e empatia.


Alinhada à Base Nacional Comum Curricular (BNCC), é uma metodologia de aprendizagem Hands On criada para oferecer aos alunos uma aprendizagem de acordo com a realidade e baseada na resolução de desafios.


Para entender melhor o processo de Design Thinking, precisamos abordar as 5 etapas que compõem a metodologia dentro do âmbito escolar:


  • Descoberta: A primeira etapa do processo de DT é conhecida como descoberta por ser o processo onde o desafio específico será revelado para a busca de solução. O desafio proposto nesta etapa deve ser passível de entendimento para cada faixa etária ou nível de conhecimento mínimo. Para a aplicação no contexto educacional, a metodologia deve ser planejada junto ao currículo proposto para cada ano escolar.


  • Definição ou interpretação: Com as informações coletadas na etapa anterior, é preciso selecioná-las realizando a análise e a categorização das descobertas feitas para sistematizar o que realmente é informação com valor agregado para a solução do problema. É uma etapa de tomada de decisão e colaboração, visto que os alunos envolvidos terão que redefinir o que é importante para gerar a inovação para o desafio proposto. A segunda etapa, como o próprio nome diz, será interpretar e definir o que é realmente o problema ou desafio proposto e, a partir disso, desenvolver como o problema será resolvido.


  • Ideação: Ideação é a fase que consiste em gerar ideias para solucionar o problema apresentado. Nesta etapa, novamente a colaboração é um dos princípios mais influentes, visto que a ideia de um aluno pode complementar a ideia inicial de outro aluno. Após a captação de ideias, é importante selecionar as mais promissoras, e o professor, que é um condutor da aprendizagem, deve direcionar os alunos para a escolha da melhor ideia.


  • Prototipação: Ponto onde as ideias tomam forma gerando um produto original a partir da etapa anterior. Neste momento, a escolha das ideias se torna algo tangível, seja por meio de uma história, um diagrama, um anúncio, um modelo, uma maquete, ou ainda um material digital. Independente do protótipo gerado, o fator de sucesso desta etapa é o aprendizado gerado a partir do resultado ou feedback da ideia apresentada acerca do desafio. Neste ponto, cabe ao professor acompanhar e validar os protótipos, oferecer feedback e auxiliar na construção do aprendizado por tentativa e erro, fazendo com que os alunos corrijam ou revisem o próprio trabalho, estimulando um ambiente de responsabilidade entre os alunos.


  • Teste ou evolução: Nesta fase, os alunos veem o que criaram e conseguem observar a evolução do trabalho que desenvolveram. Ainda neste processo, o professor precisa identificar com os alunos fatores de sucesso, documentar todas as ações que envolveram a resolução dos desafios e a apresentação da ideia para outros indivíduos da comunidade escolar, ressaltando a importância de cada etapa e do envolvimento dos alunos. Mesmo que a ideia tenha sido muito bem avaliada, é importante fazer o aluno refletir sobre todo o processo, de forma a compartilhar impressões e aprendizados e gerar um espírito de melhoria contínua.


*Gisele Aparecida Lemes Vitório é Pedagoga e Tecnóloga em Gestão em Recursos Humanos, Treinadora Internacional da Aprendizagem Cooperativa-Kagan. Atua como consultora educacional e possui experiência em coordenação e sala de aula em instituição de ensino profissional. Já atuou como professora técnica, expositora e facilitadora de aprendizagem em oficinas de simpósios e eventos internacionais de educação.

972 visualizações

© Copyright 2017 - 2019 | Faz Educação & Tecnologia