6 estratégias de ensino híbrido e revezamento de alunos

O ensino híbrido se mostrou um grande desafio ainda no ano de 2020, mas agora, em 2021, com a reabertura parcial das escolas, trouxe ainda mais dúvidas.

Com a escalada nos casos de Covid-19 e com índices de transmissão ainda distantes do esperado, instituiu-se uma grande missão para os educadores, familiares e alunos: como continuar a estudar em meio a uma pandemia?


Distantes de qualquer planejamento estratégico para situações como essa - assim como todas as demais áreas da sociedade -, a escola se viu ante a um grande desafio e, em um primeiro momento, observou que a saída era, sem dúvida, a internet.


Desenvolvendo ferramentas e plataformas para manter alunos, professores, familiares, pedagogos e todos os educadores, encontramos nas aulas on-line uma forma de continuar os processos educacionais e, por um momento, o retorno gradual à sala de aula se mostrou como uma possibilidade.


O ensino híbrido é, justamente, parte desse retorno gradual, em que alunos têm atividades presenciais e virtuais de forma concomitante.


No entanto, tal como as aulas 100% on-line, essa maneira de educar também possui seus desafios.


Continue lendo e conheça 6 estratégias eficazes para o ensino híbrido!


Saiba mais: Guia do Ensino Híbrido: dicas para implementação!


1 - Revezamento de discentes


O revezamento de discentes é uma alternativa para a implementação do ensino híbrido, em que cerca de 50% da turma vai à escola em um dia e no dia seguinte os outros discentes vão à escola.


Nos dias em que estão em casa, há que se ter exercícios complementares e atividades que possam reforçar e complementar o que foi aprendido.


Saiba mais: BNCC: revisão curricular e replanejamento do ano letivo em tempos de pandemia!


2 - Divisão das turmas em diferentes salas de aula, em dias alternados


Da mesma forma que se sugere no primeiro ponto, as escolas podem organizar um calendário em que todos os alunos de uma sala são convocados em um dia, mas a turma é dividida em várias salas de aula.


Dessa forma, os alunos podem ir à escola menos vezes durante a semana, mas ter a atenção total do professor nesse período, contando também com menos alunos no ambiente escolar.


Saiba mais: Guia para uma Gestão Eficiente!


3 - Ter as aulas transmitidas ao vivo através de plataformas na Internet


Enquanto alguns alunos estão na escola, as aulas podem ser transmitidas ao vivo através da Internet, de forma simultânea.


Dessa forma, mesmo durante o ensino híbrido, todos os alunos terão acesso aos mesmos conteúdos e ao mesmo tempo, sendo possível estabelecer a mesma sequência didática para todos e, ainda, maior participação dos alunos.


Saiba mais: As Novas Tecnologias para o Novo Normal na Educação Pública!


4 - Ter um calendário de aulas que sejam totalmente virtuais e totalmente presenciais


Essa é uma forma de garantir maior continuidade na metodologia e na estratégia adotada pelo professor, fazendo com que as aulas sempre sejam ofertadas em forma virtual ou em forma presencial.


É importante, no entanto, que a escola sempre tenha em vista que o ideal é que os alunos frequentem o ambiente escolar em dias alternados ou, ainda melhor, em dias mais “espaçados”, garantindo maior controle da circulação do novo Coronavírus e maior segurança.


Assim, ainda que as aulas sejam presenciais, é importante contar com atividades para casa, pesquisas e exercícios e, ainda, alguma forma de fazer com que o aluno possa entrar em contato com o professor caso dúvidas surjam no decorrer dessas atividades, como, por exemplo, em um plantão docente.


5 - Ter professores dedicados às aulas virtuais e professores dedicados às aulas presenciais no ensino híbrido


Essa é uma forma de restringir a circulação de pessoas no ambiente escolar, promovendo maior controle ao novo Coronavírus.


A escola pode garantir a presença de um corpo docente dedicado exclusivamente às aulas presenciais e um corpo docente dedicado somente aos plantões de tira-dúvidas e, ainda, às aulas virtuais.


Além de promover maior segurança ao corpo docente, dessa forma também é possível garantir que haja maior continuidade no apoio aos alunos, que podem ter aulas presenciais que continuarão no ambiente on-line.


Saiba mais: Educação 5.0: o que é e como se preparar!


6 - Implementar as metodologias ativas para reforçar a educação remota


As metodologias ativas tomam como pressuposto a ação do aluno para a constituição dos seus conhecimentos.


Através delas, é possível criar um ambiente em que os discentes buscam a formulação de suas próprias estratégias de pesquisa, de conhecimento e aprendizagem.


As metodologias ativas permitem que o aluno assuma o protagonismo de sua aprendizagem, buscando através dos seus próprios meios a compreensão de objetos de estudo e, nelas, os professores atuam como mediadores, propondo atividades e aplicando estratégias para tornar possível o aprendizado.


Gostou desse artigo? Pesquise outros temas e tire suas dúvidas no Blog da Faz Educação!


Aproveite e garanta todos os nossos Materiais Educativos gratuitamente!

336 visualizações0 comentário