Conheça 3 caminhos de uma escola bem-sucedida na aproximação com a família

Atualizado: Mar 4


Você participa da vida escolar do(a) seu(sua) filho(a)?


Segundo a Constituição Federal de 1988, Art. 205: A educação, direito de todos e dever do Estado e da família, será promovida e incentivada com a colaboração da sociedade, visando ao pleno desenvolvimento da pessoa, seu preparo para o exercício da cidadania e sua qualificação para o trabalho. (Brasil, 1988).


Ou seja, o acesso à educação é um direito básico do ser humano, sendo fundamental para que crianças e adolescentes cresçam e se tornem adultos capazes de exercer a cidadania e contribuir ativamente para a sociedade. Além disso, é dever do Estado e da família garantir esse acesso.


E, compreendendo que o desenvolvimento da criança não acontece de maneira isolada, o apoio dos pais é essencial para que os anos escolares sejam ainda mais benéficos. Quanto mais as famílias se envolvem e participam da vida escolar dos filhos, melhores são os resultados de aprendizagem dos alunos. Essa afirmação é praticamente unânime no campo educacional.

Quando a criança se sente ouvida, apoiada, prestigiada e incluída, sente-se mais estimulada para aprender e aproveitar as oportunidades que a escola pode oferecer.

Existem diversas contribuições que tanto a família quanto a escola podem oferecer, propiciando o desenvolvimento pleno do aluno, e nós temos algumas sugestões para vocês:


Caminhos de uma escola bem-sucedida na aproximação com a família:

  • Comunicação efetiva

Um dos pontos essenciais para o sucesso de qualquer relacionamento é a comunicação, e cultivar uma relação de proximidade entre escola e família é o primeiro passo para ter uma participação ativa na vida escolar da criança. Uma escola que não se comunica com os responsáveis – seja através de bilhetes informativos ou por meio de reuniões e eventos – abre caminho para a insegurança. Vale destacar que é importante abrir um olhar mais positivo para a escola, mostrar que a comunicação não é só em momentos de reclamação, ajudando-os a compreender que a escola é um espaço para momentos prazerosos com amigos e professores.


  • Gestão descentralizada

Dê voz ativa às famílias. Promova encontros, propicie a comunicação e abra os canais de contato. Com essas atitudes, as famílias se sentirão mais participativas e confiantes em relação à escola e consequentemente mais abertas a trabalharem em colaboração com a escola.


  • Traga a família para a escola

Criar programações escolares gera ambientes em que a família se sente mais confortável e acolhida. Entretanto, sabemos que mobilizar as famílias para tal atividade é um grande desafio. Embora existam muitas formas de promover essa aproximação, não se esqueça de que nem todos os pais terão a disponibilidade de comparecer a todo o calendário proposto pela escola. Entenda os perfis e as necessidades de cada família e ofereça um leque de opções. Desse modo, haverá mais interesse e engajamento de todos os envolvidos à escola.


Atenção, presença, cuidado e incentivo da família, especialmente dos pais ou responsáveis, são essenciais para o desenvolvimento integral da criança. O fato é que nada substitui pais afetuosos e professores dedicados, crianças e jovens demandam amizade e interesse real.


O ideal é que família e escola formem uma equipe e tracem as mesmas metas de forma simultânea, bem como atingir a mesma direção em relação aos objetivos que desejam alcançar, garantindo ao aluno uma segurança na aprendizagem a fim de criar cidadãos críticos capazes de enfrentar diferentes e complexas situações que surgem na sociedade.

* Júlia Bosso é formada em Letras pela Universidade Paulista e cursa Pedagogia pela Universidade de Taubaté. Foi professora de Ensino Fundamental I durante um ano, atualmente é analista de Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos Educacionais e Apple Professional Learning Provider.

0 visualização

© Copyright 2017 - 2019 | Faz Educação & Tecnologia