Prepare-se para os desafios e oportunidades da transformação da educação para 2020

Atualizado: Mar 4

A transformação da educação em 2020 deverá ter importantes impactos. Saiba mais sobre eles e o que deve estimular mudanças na educação do país.

O ano de 2020 será marcado por desafios e oportunidades que estimularão uma transformação da educação, para que, entre outras coisas, ela acompanhe a transformação da sociedade.


Alunos sentados em fileiras, quietos, ouvindo o professor transmitindo uma série de informações durante horas. Essa era a realidade nas salas de aula da Prússia, berço da tradição de ensino público - mas em 1830. Será que já não passou da hora de essa dinâmica mudar?


Fora das escolas, a sociedade mudou. Internet, redes sociais, inteligência artificial, impressoras 3D, drones - essas são apenas algumas das novidades que deverão se fazer cada vez mais presentes.


Portanto, os desafios para a transformação da educação são muitos - assim como as oportunidades de melhoria e de um impacto cada vez mais positivo.

Neste artigo, conheça alguns dos principais exemplos de mudanças que devem agitar o cenário da educação para 2020. Acompanhe.

7 desafios e oportunidades de transformação da educação para 2020

Entre as principais demandas e mudanças que devem influenciar o cenário da educação no país, estão:


1. Intensificar a formação continuada de professores


A transformação da educação passa por uma transformação pedagógica. E, para que o corpo docente esteja preparado e alinhado aos desafios e novos cenários que a BNCC irá trazer a partir de 2020, é preciso fortalecer sua formação continuada.

É necessário que os professores compreendam todas as mudanças dos novos currículos e as metodologias que passarão a fazer parte de sua rotina para transmitirem essa naturalidade e os benefícios potenciais aos estudantes.


2. Atuar para elevar a qualidade de ensino e a efetividade da aprendizagem


Hoje, esse é um dos principais desafios a serem vencidos para a transformação da educação e do país. Conforme dados, somente 45% das crianças estão alfabetizadas na

idade certa e menos de 10% dos jovens que concluem o ensino médio apresentam conhecimento suficiente em matemática para, por exemplo, fazer cálculos de porcentagem.


Naturalmente, para melhorar esse quadro, são necessárias ações macro. Entretanto, cada escola e secretaria podem também atuar proativamente em busca de melhores resultados, por meio da adoção de novas práticas pedagógicas, recursos de ensino-aprendizagem, de inclusão de familiares e comunidade no ambiente escolar, entre outras iniciativas.

3. Alcançar maior envolvimento das famílias


O nível de envolvimento das famílias na educação de seus filhos exerce grande impacto no comportamento dos alunos em sala de aula. Claro, essa contrapartida está fora do controle direto das escolas e secretarias, mas pode-se adotar ações que estimulem a participação dos pais e o seu relacionamento com a escola.

Ter canais de comunicação ativos, que informem os pais sobre tudo de importante que ocorre na educação de seus filhos e que ajudem a incentivá-los a fazerem parte disso é importante.


Vale ressaltar que o artigo 3º do caderno da Política Nacional de Alfabetização (PNA) enfatiza a “centralidade do papel da família na alfabetização”.

Lembre-se: pais e escola formam uma equipe que deve estar alinhada e trabalhar conjunta e sinergicamente para potencializar os resultados e o processo de educação dos jovens.


4. Melhorar a infraestrutura das escolas


De acordo com o Censo Escolar divulgado em 2018, a cada 10 escolas de ensino fundamental, 8 não têm em sua estrutura laboratório de ciências e 6 não disponibilizam banheiro acessível para pessoas com mobilidade reduzida.


Para haver uma verdadeira transformação da educação, lidar com esse problema e buscar soluções para melhorar e modernizar a infraestrutura das escolas é crucial. Em ambientes sem a devida acessibilidade, com falta de material, recursos obsoletos ou avariados, é muito mais difícil tanto para professores quanto para alunos sentirem-se acolhidos e inspirados no ambiente escolar.


E isso, conforme dados de estudo do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), prejudica o processo de aprendizagem. Em contrapartida, de acordo com esse levantamento, a disponibilização de ambientes como biblioteca e laboratório de informática e de ciências ajuda a elevar o desempenho dos estudantes na compreensão e em testes de linguagens.


A verba para isso depende do investimento das redes na infraestrutura das escolas, que têm o desafio de fazer a melhor gestão possível de tais recursos e que podem buscar parcerias e ações junto à iniciativa privada e à comunidade para ajudar na questão.


5. Lidar com as novidades trazidas pela BNCC


A BNCC promete uma grande transformação da educação no país. A Base Nacional Comum Curricular irá mobilizar ainda mais professores, gestores escolares e secretarias de educação em 2020. Todos deverão agir em conjunto para colocar em prática os referenciais da BNCC a partir do próximo ano.


6. Criar iniciativas para valorização dos professores


Conforme dados trazidos pelo Ministério da Educação, os professores da rede pública recebem 25% menos do que outros profissionais com o mesmo nível de ensino. De acordo com o Plano Nacional de Educação (PNE), tal desequilíbrio precisaria ser resolvido até 2020.


Para ajudar na valorização desses profissionais, também é importante avaliar a adoção de plano de carreira, um clima de trabalho saudável, entre outras iniciativas.


7. Adotar metodologias ativas de aprendizagem


A transformação da educação passa pela adoção de metodologias ativas, que tirem o aluno do lugar de receptor passivo de informações e o posicione no centro de seu processo de aprendizagem.


Um estudo da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) trouxe a estimativa de que, até 2020, 35% das habilidades exigidas pelo mercado de trabalho irão mudar.


Modificações como essa também impulsionam alterações na educação. Habilidades como criatividade e colaboração, que serão cada vez mais demandadas, são trabalhadas e estimuladas pelas metodologias ativas - tais como a hands on. Portanto, um dos grandes desafios para 2020 é buscar esse alinhamento e formas de modernizar as práticas de ensino-aprendizagem.


E então, pronto para lidar com esses desafios da transformação da educação? Que outras oportunidades, na sua avaliação, deverão mudar o cenário da educação em 2020? Deixe sua mensagem nos comentários!


Aproveite e veja também o Faz Responde sobre o assunto:


166 visualizações

© Copyright 2017 - 2019 | Faz Educação & Tecnologia