Como lidar com as emoções dos alunos na volta às aulas?

Medo, angústia e tristeza são algumas das emoções causadas por esse período de isolamento. Como lidar com elas no retorno à sala de aula?



O período de isolamento social trouxe consigo muitas perdas para o dia a dia dos alunos. Mesmo quem não perdeu nenhuma pessoa próxima para a COVID-19 tem que vivenciar outros tipos de lutos: a distância da família e dos amigos, as dificuldades financeiras e mesmo a perda da liberdade que sempre tiveram. Isso desperta emoções que podem ser difíceis de lidar.


Por isso, com a perspectiva da volta às aulas, a equipe escolar tem que estar preparada para lidar com sentimentos de raiva, tristeza e ansiedade que os alunos vão carregar para a sala de aula.


Confira abaixo algumas dicas para que essas emoções não se tornem um fardo para os alunos:


Repense o conceito de “retomada”


Um detalhe que pode influenciar nas emoções de seus alunos é como a volta às aulas está sendo contextualizada. Falar sobre “retomar de onde paramos” e fazer parecer como se tudo fosse voltar ao normal, em vez de passar uma sensação de segurança, deixa os alunos ainda mais ansiosos.


Porque o tipo de convivência que tínhamos antes ainda não é possível, e os alunos sabem disso. Não apenas por conta da pandemia, que ainda está acontecendo, mas por causa do período de isolamento. Muitos ficaram todo esse tempo sem interagir com ninguém fora de casa, e isso causa um estranhamento.


O novo normal não vai, necessariamente, se parecer com o que tínhamos antes, e essas novidades precisam ser bem recebidas, e não vistas como anomalias.


Torne a sala de aula um lugar seguro


Transformar a sala de aula em um lugar seguro, nesse contexto, significa duas coisas. A primeira é cuidar da segurança física dos alunos, fazendo o uso da máscara, do álcool gel e estimulando o distanciamento quando ele for possível. Afinal, muitas das emoções que seus alunos vão demonstrar serão decorrentes do medo – de ficar doente, de passar a doença para outras pessoas, etc.


A segunda é oferecer segurança emocional. Permita que a sala de aula seja um espaço em que seus alunos possam conversar sobre o que estão pensando, sobre como estão assustados, sobre o que sentem falta e como queriam estar passando o tempo. Tire dúvidas, dê conselhos, seja paciente.


Esse apoio já pode começar durante o isolamento. Confira como trabalhar as competências socioemocionais dos alunos mesmo a distância!


A maioria de nós está sentindo as mesmas emoções nesse momento e, por isso, esse compartilhamento diminui a distância, mesmo com o isolamento físico.


Lembre-se da influência das emoções no aprendizado


Outro problema que pode causar fortes sentimentos de raiva, frustração e tristeza nos alunos, é o tempo que eles ficaram afastados da escola, estudando menos do que estavam acostumados. Alguns não tinham um lugar apropriado para estudar em casa, outros não conseguiam estudar sozinhos.


Isso quer dizer que muitos alunos terão dificuldades com matérias que antes eram simples ou trarão muitas dúvidas que podem desacelerar o ritmo do aprendizado. Os professores precisam enfatizar que esse novo ritmo é normal e esperado em uma situação como essa.


Os professores também precisarão reorganizar o ano letivo. Saiba mais sobre como reorganizar o ano letivo!


Tire dúvidas aos poucos e explique aos alunos que não espera que todos voltem ao mesmo desempenho de antes da noite para o dia. Ninguém poderia prever essa nova situação, e todos estão aprendendo juntos como lidar com ela.


Converse com a família


Emoções são sempre influenciadas pelas pessoas com quem convivemos. Seus alunos acabam de passar meses em casa com seus pais, irmãos, avós e outros membros da família. Por isso, é importante conversar com os familiares, saber como foi esse período e como os alunos reagiram enquanto estiveram em casa.


Se a comunicação com a comunidade escolar não é o forte da sua escola, é hora de mudar esse quadro e abrir esse canal para conversas, reclamações, ideias, etc. Ninguém melhor do que a família dos alunos para mostrar a melhor maneira de lidar com as emoções deles, seja por um bom exemplo ou por um exemplo ineficaz.


Saiba mais sobre a comunicação entre família e escola em tempos de isolamento social!


O principal na hora de lidar com as emoções dos alunos é se lembrar de que todos nós temos sentimentos difíceis com os quais lidar nesse momento. E, por isso mesmo, essas emoções podem ser o que vão nos conectar daqui para frente e tornar o relacionamento da comunidade escolar melhor.


Acesse o blog da Faz Educação e confira algumas dicas para tornar esse período mais fácil e eficiente!

0 visualização

© Copyright 2017 - 2019 | Faz Educação & Tecnologia