Novos Tempos da Aprendizagem: como as pessoas aprendem?

Como aprendemos? Saber responder a essa pergunta é o primeiro passo para entender como otimizar a aprendizagem. Descubra mais!

Falamos muito sobre como o ensino mudou ao longo dos anos. Os professores mudaram seus métodos, as salas de aula mudaram sua configuração, as escolas não são mais as mesmas. Mas a verdade é que outro fator importante também mudou: a aprendizagem.


A maneira como as pessoas aprendem foi se transformando com o passar do tempo. Uma pessoa dos anos 1960, que tinha como única fonte de informação jornais e livros, tinha um processo de aprendizagem muito diferente do processo de uma pessoa dos dias de hoje, que pode adquirir qualquer informação em um celular que cabe na palma da mão.


Mas como essas mudanças se manifestam? E como as novas metodologias ativas podem estimular a aprendizagem dos alunos de hoje? Tudo começa com um pouco de neurociência.


O que a neurociência diz sobre a aprendizagem?


A neurociência estuda como ocorrem nossos processos mentais e o que podemos fazer para otimizá-los. Entre esses processos, está a maneira como uma nova informação é captada, assimilada e armazenada, ou seja, a aprendizagem.


Alguns fatores influenciam diretamente nesse processo específico e podem decidir como – ou se – vamos aprender. Por exemplo:

  • Memória: a ativação encadeada de circuitos nos ajuda a lembrar de informações que associamos a outras. Porém, esse encadeamento está relacionado a outros fatores, por exemplo, a necessidade de lembrar de algo;

  • Atenção: a atenção está ligada ao nosso interesse e aos estímulos que recebemos. Se recebemos muitos estímulos ao mesmo tempo – TV ligada, celular tocando, etc. – não conseguimos prestar atenção em nada;

  • Plasticidade cerebral: nosso cérebro muda de acordo com os estímulos ambientais e, quanto mais plástico, mais facilmente o cérebro adquire conhecimentos;

  • Emoção: emoções criam sinapses mais fortes e estáveis, influenciando no quanto podemos lembrar de algo.

Por conta da influência desses fatores, podemos aprender mais ou menos. Por isso, na sala de aula, é preciso trabalhar em cima dessas noções e estimular a aprendizagem da maneira certa.


Saiba mais sobre como a neurociência pode ajudar na aprendizagem!


Metodologias ativas e a aprendizagem no dia de hoje


Quando analisamos os fatores que influenciam na aprendizagem, vemos que muitos estão prejudicados nos dias de hoje. A memória, por exemplo, tem outro significado em um mundo em que se pode perguntar para o celular qualquer informação, a qualquer momento.


A plasticidade cerebral também está afetada. Com muitas tarefas sendo automatizadas ou facilitadas, não recebemos mais tantos estímulos que aumentam a plasticidade. Recebemos, no entanto, muitos estímulos que desviam nossa atenção.


É por causa dessas mudanças que houve uma transformação na maneira como as escolas funcionam. Os alunos não precisam decorar informações e repetir conceitos em um mundo em que esses dados estão disponíveis o tempo inteiro.


É por isso que as metodologias ativas surgiram. Elas são uma forma de colocar o aluno como agente de seu conhecimento, estimular a pesquisa e o debate, e desenvolver habilidades que realmente importam para o futuro.


Os professores também precisam mudar para que esses métodos funcionem!


Trabalhando com metodologias ativas em sala de aula


Existem muitas metodologias ativas que podem ser trabalhadas em sala de aula, mesmo se sua escola ainda estiver em aulas 100% on-line. Avaliações em pares, fórum invertido, gamificação e aprendizagem baseada em projetos são alguns exemplos.


Conheça algumas metodologias ativas que podem ser utilizadas nas aulas à distância!


Mas o primeiro passo para aplicar essas metodologias na aprendizagem é entender seus preceitos básicos. Por exemplo:

  • Estimular o pensamento crítico, com perguntas e respostas complexas e bem elaboradas;

  • Incentivo à criatividade e à inovação;

  • Descentralização do professor como detentor de conhecimento;

  • Valorização das experiências individuais;

  • A ideia de um aprendizado contínuo, que não termina na sala de aula;

  • A prática andando de mãos dadas com a teoria;

  • O uso de tecnologia para estimular o aluno a aprender, e não para se distrair.

Quando entendemos as metodologias ativas dessa maneira, percebemos que elas são a resposta para os alunos de hoje em dia.


Com essas mudanças na aprendizagem, é possível educar alunos que tenham mais convicção de suas ideias e saibam como procurar fontes, buscar a verdade e entender experiências diversas – todas características essenciais para um futuro melhor.


Saiba mais sobre metodologia ativa e sobre o futuro da aprendizagem no site da Faz Educação!


Aproveite e baixe gratuitamente os nosso eBooks Como Revolucionar o Ensino com as Metodologias Ativas e As Novas Tecnologias para o Novo Normal na Educação Pública!

466 visualizações

© Copyright 2017 - 2020 | Faz Educação & Tecnologia