5 dicas para colocar em prática a Formação Continuada

Atualizado: Mar 4

* Por João Luís de Almeida Machado


Formação é uma palavra composta a partir da junção do verbo "formar" e do substantivo "ação" e, evidentemente, ao se criar um vocábulo específico como "formação", o que se pretende é, de fato, destacar que, para uma melhor e mais aperfeiçoada ação, é preciso que o sujeito desta prática seja formado para tal.


Ainda que, no presente momento, existam pessoas defendendo ideias relacionadas à não necessidade de processos formativos amplos, educacionais, escolarizados ou técnicos, com a possibilidade das pessoas aprenderem somente a partir do contato com as novas tecnologias, por meio da internet e suas infinitas fontes e possibilidades, o fato é que os modelos formativos atuais não podem prescindir do contato dos formandos com os especialistas, seus professores ou tutores, do mesmo modo como não é mais possível articular práticas em que os meios digitais sejam descartados, pois se tratam de ferramentas eficazes, úteis, práticas e de fácil manuseio para melhorar as formações.


A formação continuada de professores e gestores educacionais é algo que não pode parar, é preciso que seja continuada, que permita aos profissionais ampliar seus conhecimentos didáticos, específicos de suas áreas ou segmentos de atuação e de gestão, seja aquela de caráter mais localizado, relacionado à sala de aula, seja a de caráter mais amplo, relativa à escola e às políticas educacionais.


Com isso, conheça algumas estratégias de conhecimento e veja como fica mais claro colocar em prática e melhorar a forma de fazer educação hoje em dia.


DICA 01

Estar sintonizado com as políticas públicas em adoção no país, tendo conhecimento tanto daquilo que já está estabelecido há mais tempo quanto do que é mais recente, é de grande importância para gestores e professores. Conhecer as diretrizes que orientam a educação nacional, os parâmetros específicos de caráter regional ou local e, mais recentemente, estar por dentro do que é, de como está estruturada e acerca da aplicação da Base Nacional Comum Curricular, a BNCC, é algo imprescindível.


DICA 02

Entender os grandes exames nacionais como o IDEB e o ENEM, por exemplo, é também algo precioso para todos os envolvidos no processo educacional. Somos, por vezes, negligentes quanto às políticas públicas em diversos setores da vida em nosso país, inclusive na educação, e não podemos agir assim, pois isso é prejudicial ao país e a cada um de seus habitantes. É necessário que, nas escolas e na formação de professores, a legislação específica seja estudada com a devida atenção para que sua aplicação, melhoria ou correção possa ser implementada a partir da demanda dos próprios educadores.


DICA 03

Cursos sobre LDB, IDEB, ENEM, BNCC e outros assuntos de interesse podem ser contratados ou ainda acessados pela rede. Para selecionar cursos na internet, sobre esses assuntos ou outros, é preciso cuidados, como por exemplo verificar a fonte destes cursos, os autores, as instituições e as bases de estudo propostas, como os materiais de apoio para que, sendo credenciados, possam ser usados nos horários de trabalho pedagógico, regulares nas escolas, para a formação dos profissionais, assim como em grupos de estudo.


DICA 04

Estudar as novas metodologias, as tecnologias que estão invadindo as salas de aula, parte integrante do cotidiano de todos e, em especial dos alunos, é também algo a ser proposto e realizado. Metodologia de projetos, metodologias ativas, uso de tecnologias como a gamificação, a realidade virtual, a realidade aumentada, os ambientes virtuais de aprendizagem, os cursos em EAD, plataformas como o Google Educação, conjuntos de videoaulas curadas como aquelas oferecidas no YouTube Edu, recursos de aprendizagem personalizados que seguem o ritmo dos alunos, entre outras possibilidades, precisam ser conhecidas pelos profissionais da educação para que sejam, de fato, usadas nas escolas. Há uma demanda urgente dos alunos quanto a isso, não podemos adiar mais a introdução destas ferramentas nas salas de aula de todo Brasil.


DICA 05

Buscar cursos de especialização, ler muitos livros (em papel ou e-books), participar de grupos de estudo, aproveitar as formações oferecidas pelas escolas e redes de ensino, usufruir das parcerias que sua escola ou rede oferecem, fazer cursos online das melhores universidades do mundo em ambientes como o Coursera ou o edX são possibilidades reais para todos os educadores e gestores de escolas.


É preciso se arriscar, testar novas possibilidades, inovar nas escolas e salas de aula. Não podemos nos omitir dessa grande tarefa e responsabilidade, por nossos alunos, pelo nosso desenvolvimento pessoal e profissional e por um mundo melhor.



* João Luís de Almeida Machado é consultor em Educação e Inovação, Doutor e Mestre em Educação, historiador, pesquisador e escritor.

163 visualizações

© Copyright 2017 - 2019 | Faz Educação & Tecnologia