O impacto da atualização tecnológica na educação pós-coronavírus

A atualização tecnológica será fundamental na era pós-coronavírus no sistema educacional. Descubra mais sobre os caminhos e os impactos disso.


Nas últimas semanas, percebemos que os efeitos decorrentes da pandemia do novo coronavírus não ficam restritos aos infectados. Diferentes grupos viram sua rotina passar por mudanças significativas.


Assim como ocorre com os trabalhadores, os estudantes de todas as faixas etárias precisaram se adaptar a esse cenário. Crianças, adolescentes, jovens e adultos se viram na obrigação de utilizar dispositivos eletrônicos para darem continuidade a seu aprendizado, tornando-se alunos de EaD em potencial.


As instituições foram forçadas a reverem suas metodologias, experimentando novas maneiras de fazer as coisas e revisitar tradicionais técnicas de ensino. E tudo isso valerá como um ensaio para que o processo de educação seja mais efetivo na era pós-coronavírus.


A expectativa para os próximos meses é de que a tecnologia seja uma grande aliada para potencializar a aprendizagem. Com isso, os ambientes virtuais deverão ser utilizados com maior frequência e os professores precisarão mergulhar em um novo mindset para engajar os alunos, instrumentalizados pela orientação e o apoio das secretarias de educação.


Quer saber mais sobre o impacto da atualização tecnológica na educação pós-coronavírus? Fique conosco e acompanhe as informações a seguir.


Como a tecnologia deverá impactar o rumo da educação pós-coronavírus?


O fechamento das instituições de ensino para conter a propagação do novo coronavírus no país fez com que milhões de alunos ficassem sem aulas presenciais. Diante de uma situação atípica, escolas, gestores, educadores, pais e alunos precisaram mudar a rotina e se adaptar.


Sabemos que quanto mais próximo é o contato entre aluno e instituição de ensino (não apenas em termos físicos, mas de comunicação efetiva), mais eficiente tende a ser o seu aprendizado. Por isso, é preciso encontrar alternativas para mitigar o prejuízo causado pelo distanciamento trazido por esse novo cenário.


Uma das opções que ganhou destaque foi a educação a distância viabilizada por recursos tecnológicos. A cultura e a transformação digital deverão se consolidar como um dos principais rumos da nova educação pós-coronavírus.


Evidentemente, para que a atualização tecnológica na educação seja efetiva, é preciso se reinventar. Os professores assumem o papel de dinamizadores da inteligência coletiva e, ainda que por meio de aulas expositivas, estimulam o pensamento crítico e mediam atividades que tornem os alunos protagonistas da própria aprendizagem.


Muitos serão os aprendizados oriundos da vivência da pandemia e do isolamento social. E, no que tange à educação, um modelo ganha força e deve se espalhar pelas instituições: o ensino híbrido.


O ensino híbrido na educação pós-coronavírus


O ensino híbrido, ou blended learning, combina o ensino tradicional (presencial) e o ensino online. Esta “mistura” possibilita a integração do uso de tecnologia com a educação, alterando a configuração do espaço da sala de aula convencional.


Se há alguns meses o modelo era visto como uma tendência educacional, hoje, com todas as transformações causadas pela pandemia, ele passa a ser uma das formas mais relevantes e seguras para que os alunos possam cumprir a carga horária, ao mesmo tempo em que tenham garantida a aprendizagem.


De acordo com um estudo, 70% dos alunos afirmaram aprender melhor em um ambiente de aprendizado híbrido.


A suspensão temporária das atividades presenciais é uma tentativa de reduzir a disseminação da doença e o risco de contágio entre os estudantes e o restante da população.


Embora os efeitos da pandemia do coronavírus ainda não possam ser calculados em completude, na era pós-Covid-19 migrar para o ensino híbrido ou utilizá-lo em combinação com outras abordagens, surge como uma opção para as instituições que desejam garantir a aprendizagem diante das adversidades e promover a autonomia e o empoderamento dos estudantes por meio de métodos que colaboram com o seu engajamento.


O uso de plataformas digitais, metodologia de ensino remoto online e ao vivo são formas de estabelecer uma conexão entre o ensino presencial e a casa do aluno, possibilitando seu aprendizado onde ele estiver.


A disrupção educacional é uma das respostas que devem ser implementadas na era pós-coronavírus. Secretarias de educação, professores, pais e alunos precisarão trabalhar juntos para que os ambientes virtuais de aprendizagem sejam efetivos e enriqueçam a experiência de todos, minimizando os efeitos da pandemia na área da educação.


Agora que você já sabe mais sobre o impacto que a atualização tecnológica terá na educação pós-coronavírus, que tal se preparar? Quer saber mais sobre tecnologia na educação? Então, continue aqui no blog e saiba como a tecnologia está mudando a alfabetização.

223 visualizações

© Copyright 2017 - 2019 | Faz Educação & Tecnologia