Alfabetização no ensino remoto e seus principais desafios

Atualizado: Out 21

Os desafios relacionados à educação só aumentam. Entre eles, como fica a alfabetização no ensino remoto?


Dentre tantos desafios que os educadores brasileiros já enfrentavam, certamente o processo de alfabetização no ensino remoto é um dos mais complexos.


Isso se deve tanto à complexidade do processo quanto, sobretudo, à estrutura oferecida aos professores no momento de iniciar esta jornada tão importante da educação.


No entanto, o que já era naturalmente desafiador ganhou proporções ainda maiores com a chegada do novo Coronavírus em terras brasileiras, que exigiu que as atividades escolares fossem suspensas.


Embora no princípio tenha havido a necessidade de alguma adaptação, logo as escolas desenvolveram suas próprias dinâmicas para o ensino remoto.


Mas e como fica esse momento tão particular do processo de ensino e aprendizagem, que é a alfabetização no ensino remoto?


O momento da alfabetização é muito importante e um dos mais significativos de toda a jornada educacional.


É no momento em que dominamos a forma escrita (seja para ler, seja para escrever) que abrimos um caminho valioso para a nossa própria aprendizagem e, também, para a formação de nossa identidade.


A formação da nossa identidade, iniciada em nosso nascimento, acaba por ter um momento muito importante que perpassa a alfabetização: a escrita e reconhecimento do nosso próprio nome.


Assim, se é um processo tão crucial em nossa jornada de aprendizado, como podemos melhorá-lo durante o período de isolamento social e ensino remoto?


Como fica a alfabetização na educação remota?


O processo de alfabetização presencial já é uma dinâmica cheia de particularidades que devem ser observadas, analisadas e, sobretudo, respeitadas, para que seja eficiente.


No entanto, o processo de alfabetização na educação remota se torna ainda mais especial e necessita de total acompanhamento do professor e da família.


Cada método de alfabetização tem as suas particularidades, que devem ser analisadas juntamente com a equipe pedagógica da escola, a fim de definir aquela que melhor se encaixa no projeto político-pedagógico da instituição.


Seja qual for o método de alfabetização escolhido, é importante que o processo seja acompanhado de perto, sobretudo porque é através dessa observação contínua que podemos observar quais são as dificuldades de cada criança e auxiliá-las.


Como a rotina doméstica pode afetar a aprendizagem


Não é raro que a aprendizagem seja um evento tipicamente escolar.


No entanto, é necessário que durante a alfabetização no ensino remoto haja uma verdadeira atitude cooperativa entre escola e família.


Para isso, é essencial que a escola oriente as famílias de forma adequada, auxiliando os familiares a criar uma rotina de aprendizagem e de acompanhamento de estudos.


O estudo desde a primeira infância é essencial para o sucesso da alfabetização no ensino remoto e deve ser muito estimulada também dentro de casa.


Embora a teoria sempre seja mais fácil do que a prática, professores e familiares podem, juntos, alinhar expectativas e instrumentos facilitadores para que a alfabetização no ensino remoto seja bem sucedida.


Como familiares e escola podem desenvolver uma atitude cooperativa para a alfabetização no ensino remoto


Essa atitude cooperativa pode ser entendida como a união entre a escola e a família, focando em uma experiência de aprendizagem tranquila para o aluno.


É importante que a família, tanto quanto for possível, acompanhe as aulas da criança, intervindo ativamente na aprendizagem e participando da aprendizagem.


Como o aprendizado, sobretudo nessa fase, se desdobra para todos os aspectos da vida do aluno, a escola também pode propor atividades que sejam fáceis para aplicar e, sobretudo agora, com materiais que são fáceis de encontrar dentro da própria casa.


A escola, também, deve compreender que a mudança de rotina não acontece somente para o aluno, mas para toda a família.


É importante, claro, manter-se sempre ativo e sempre propor atividades pedagógicas que façam sentido no contexto familiar.


Mas é igualmente importante que pais e alunos possam se sentir confortáveis para fazer tais atividades num ritmo um pouco diferente daquele imposto durante as aulas presenciais.


No processo de alfabetização no ensino remoto mais do que priorizar resultados, é importante que priorizemos o bem estar de todos, que estão lidando com perdas, angústias e muitos outros sentimentos muito particulares desse tempo.


Quer saber mais sobre como pode mudar a realidade do ensino e aprendizagem durante a pandemia? Acesse agora o blog da Faz Educação!

324 visualizações

© Copyright 2017 - 2020 | Faz Educação & Tecnologia