7 livros que todo educador deve ler

Atualizado: Mar 4

Somos educadores e sabemos que nossa profissão demanda constante aperfeiçoamento.

Novas metodologias de ensino-aprendizagem estão sempre surgindo e, para ficar conectado com o meio educacional, receber dicas de livros é uma grande ajuda, não é verdade?


Em busca do incessante caminho do conhecimento, o educador deve sempre beber da fonte do conhecimento, procurando bons livros para se desenvolver tanto profissionalmente como pessoalmente. Confira nossas dicas de livros!


#1 Pedagogia do Oprimido


Ano de edição: 2013

Editora: Paz e Terra

Autor(a): Paulo Freire

Em seu livro, Paulo Freire descreve dois tipos de educação: a sociedade opressora e a sociedade livre. A sociedade “opressora” é chamada por Freire de “bancária”, pois ela deposita os conhecimentos nos alunos, assim como colocar o conteúdo dentro de uma caixa, reduzindo o aluno a um ser passivo do processo de aprendizagem e conhecimento.


Em suma, Freire nos faz compreender sobre a prática da liberdade através de uma nova pedagogia que construa uma ação reflexiva e crítica de forma responsável, abrindo fronteiras para o pensar do homem, e isso tudo se deve à comunicação com o outro, isto é, através do diálogo.


#2 Pedagogia da Autonomia


Ano de edição: 1997

Editora: Paz e Terra

Autor(a): Paulo Freire


Última obra de Paulo Freire publicada em vida, Pedagogia da Autonomia apresenta propostas práticas pedagógicas como forma de construir a autonomia dos alunos, valorizando e respeitando a cultura e os conhecimentos empíricos de cada um, e, segundo o autor, o discente tem papel fundamental na formação do docente, porque “não há docência sem discência, as duas se explicam, e seus sujeitos, apesar das diferenças que os conotam, não se reduzem à condição de objeto um do outro. Quem ensina aprende ao ensinar, e quem aprende ensina ao aprender”. (FREIRE, 2002, p. 25).


#3 A importância do ato de ler

Ano de edição: 1997

Editora: Cortez

Autor(a): Paulo Freire


“A leitura do mundo precede a leitura da palavra”, afirmou Paulo Freire em sua obra A importância do ato de ler (1988). O “ato de ler”, processo de leitura organizado por Paulo Freire, busca a percepção crítica e a interpretação do lido pelo indivíduo. Tal processo nos mostra que, o que era tratado e realizado de forma “autoritária”, agora é compreendido como “ato de conhecimento”.


#4 Metodologias Ativas para uma Educação Inovadora: Uma Abordagem Teórico-Prática

Ano de edição: 2017

Editora: Lilian Bacich e José Moran

Autor(a): Lilian Bacich e José Moran


A obra de Lilian Bacich e José Moran apresenta práticas pedagógicas, na educação básica e superior, que valorizam o protagonismo dos estudantes, possibilitando que aprendam com seu próprio ritmo e estilo por meio de diferentes formas de experimentação e compartilhamento, fora e dentro da sala de aula, com a mediação do docente e incorporação do mundo digital.


O livro também contempla análises de autores brasileiros do por que e para que usar metodologias ativas na educação de forma inovadora.


#5 Reflexões sobre alfabetização

Ano de edição: 2017

Editora: Cortez

Autor(a): Emília Ferreiro


Em “Reflexões sobre alfabetização”, Emília aborda a alfabetização a partir da psicogênese da língua oral e escrita, apresentando suas pesquisas e demonstrando resultados sobre os níveis pré-silábico, silábico, silábico-alfabético e alfabético.

Emília baseia seus estudos em Piaget, sua inspiração. Seu estudo é uma grande contribuição para educadores, principalmente aqueles que estão envolvidos no processo de alfabetização, retratando as fases da evolução da criança até o nível alfabético. No Brasil e em diversos países, suas pesquisas vêm sendo usadas para melhorar a qualidade do ensino e principalmente na tentativa de incluir a todos no processo de alfabetização.


#6 Conversas com quem gosta de ensinar

Ano de edição: 2000

Editora: Papirus

Autor (a): Rubem Alves


Em seu livro, Rubem Alves apresenta a diferença entre um educador e um professor: professor é uma profissão e educador é uma vocação. Define a vocação como um lugar, um mundo onde as pessoas se definem por suas visões, paixões, esperanças e horizontes utópicos. O professor é comparado a uma árvore que cresce rápido, para um fim comercial e que, com facilidade, pode vir a tombar, enquanto o educador é caracterizado como uma árvore resistente, que demora a crescer, mas é uma árvore que possui raiz e faz diferença.


#7 Eu sou Malala: a história da garota que defendeu o direito à educação e foi baleada pelo Talibã.

Ano de edição: 2013

Editora: Cia das letras

Autor (a): Christina Lamb



O livro retrata a infância de Malala no Paquistão, seus primeiros anos na escola e suas dificuldades enfrentadas na cultura do Talibã: sua família exilada pelo terrorismo, a luta pelo direito à educação, os obstáculos quanto à valorização da mulher em uma sociedade que valoriza filhos homens e um universo religioso e cultural cheio de vedações e particularidades.

* Júlia Bosso é formada em Letras pela Universidade Paulista e cursa Pedagogia pela Universidade de Taubaté. Foi professora de Ensino Fundamental I durante um ano e atualmente é analista de Pesquisa e Desenvolvimento de Produtos Educacionais e Apple Professional Learning Provider.


85 visualizações

© Copyright 2017 - 2019 | Faz Educação & Tecnologia