Letramento e Alfabetização: entenda as diferenças e como começar

Saiba quais são as diferenças entre letramento e alfabetização e tire suas dúvidas sobre esses conceitos importantes para educadores!

Quando falamos sobre a aprendizagem nos primeiros anos de escola, as palavras letramento e alfabetização vem à tona. Afinal, esses são alguns dos objetivos principais do início da vida escolar.


Mas você sabe qual é a diferença entre letramento e alfabetização? Se é possível uma pessoa ser alfabetizada, mas não letrada?


Saiba mais sobre o assunto a seguir e entenda como esses dois conceitos trabalham juntos!


Quer ideias e inspirações para trabalhar com a educação infantil? Confira nosso post!


Saiba mais: Educação 5.0: o que é e como se preparar!


O que é alfabetização?


A alfabetização tem tudo a ver com a escrita alfabética. Em suma, ela é o ensino que tem como objetivo o domínio do alfabeto, seja na escrita ou na leitura.


Podemos dizer que uma pessoa alfabetizada é aquela capaz de ler e escrever no sistema alfabético vigente. Ela conhece todas as letras, sabe formar sílabas e, com elas, sabe formar palavras e frases. Essa etapa do ensino abre as portas para todas as outras.


Ou seja, a alfabetização é a aquisição de habilidades específicas que servem de base para o aprendizado geral. É um processo que começa e termina, geralmente, nas séries iniciais. Mas como isso se relaciona com o letramento?


Saiba mais: Guia do Ensino Híbrido: dicas para implementação!


O que é letramento?


Pelo nome, podemos pensar que letramento é um sinônimo de alfabetização. Em alguns contextos, profissionais até mesmo usam essas palavras de forma intercambiável. Porém, elas não significam a mesma coisa.


O letramento leva em conta os contextos em que sabemos ler, escrever e nos comunicar. Ele leva em conta não apenas os símbolos do alfabeto, mas a linguagem como um produto social completo.


Enquanto a alfabetização leva em conta a capacidade de juntar letras e formar palavras, o letramento leva a conta a interpretação de textos e de contextos. Ele se refere a como a pessoa consegue interagir na sociedade.


Uma pessoa alfabetizada, portanto, nem sempre é letrada. Afinal, as pessoas letradas conseguem entender a linguagem em quase todos os seus contextos. Além disso, conseguem perceber melhor o ambiente em que vivem, sabem elaborar discursos, conseguem argumentar e usam a comunicação com sabedora e distinção.


Por isso, é completamente possível ser alfabetizado e não ser letrado. Ao contrário da alfabetização, mesmo que o letramento comece nas séries iniciais, ele é um processo contínuo. Ou seja, ele nunca termina de fato.


Saiba mais: Ensino Remoto: o que é, como fazer e como avaliar a aprendizagem!


O que deve ser ensinado primeiro?


Com a explicação acima, você pode pensar que, naturalmente, a alfabetização viria antes do letramento. Afinal, ela é a base para os outros conhecimentos.


Porém, esse é um erro cometido em algumas escolas. A alfabetização sem o letramento fica sem contexto e sem rumo. Por isso, os alunos podem ser considerados alfabetizados, mas não letrados, por muitos anos.


Os dois tipos de ensino são não apenas importantes, mas também essenciais. Sem ambos, aprender qualquer outra coisa é mais difícil em termos acadêmicos. Por isso, é preciso ensinar o alfabeto e o letramento ao mesmo tempo.


Além disso, em contexto, a alfabetização é aprendida de maneira mais natural. Isso acelera o processo e permite que os alunos cheguem mais longe. É por isso que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) incentiva que os dois sejam ensinados juntos.


Saiba mais: BNCC: revisão curricular e replanejamento do ano letivo em tempos de pandemia!


Como começar o letramento e a alfabetização?


É preciso ensinar o alfabeto e o letramento ao mesmo tempo para as crianças. Mas como fazer isso? Por regra geral, a melhor maneira é introduzir a leitura desde cedo. É claro que, em nenhuma hipótese, essas primeiras leituras serão complexas. Mas o objetivo delas é estimular a curiosidade das crianças.


Preparar aulas criativas faz a diferença nessa fase. Venha saber mais!


Com o tempo, a leitura desperta a curiosidade dos alunos, e eles começam a criar hipóteses sobre o alfabeto antes mesmo de saber que ele existe. Assim, os alunos aprendem tudo em contexto e, por isso, aprendem melhor.


Aprendendo dessa forma, as crianças aprendem a ler, escrever e se comunicar ao mesmo tempo. De quebra, ainda podem desenvolver o gosto pela leitura.


Conheça outros benefícios de estimular a leitura desde a infância neste post!


Depois dessa fase, a produção escrita e o discurso também entram em cena. Eles fazem parte do letramento, mas a fase da alfabetização já terá passado.


Entender a diferença entre letramento e alfabetização é importante para todos os educadores. A Faz Educação traz dicas e explicações importantes para quem trabalha nesse ramo. Acesse nosso blog e confira outros posts!


Aproveite hoje e garanta gratuitamente os nossos Materiais Educativos exclusivos!

218 visualizações0 comentário