Como auxiliar os alunos da EJA no ensino remoto?

Atualizado: 12 de mai. de 2021

Conheça as dificuldades particulares dos alunos da EJA no ensino remoto e descubra como você pode ajudá-los a ter o melhor desempenho possível!



A educação sofreu muitas consequências desde o começo da pandemia de COVID-19. Porém, a maioria das discussões sobre o assunto envolvem alunos da escola regular e das faculdades. Os alunos da EJA acabam sendo esquecidos, e suas dificuldades, minimizadas.


Mas a verdade é que quem está na Educação para Jovens e Adultos (EJA) traz suas próprias dificuldades nesse período. E, para auxiliá-los, a escola e os professores precisam ir mais longe.


Saiba mais sobre essas dificuldades e como ajudar os alunos da EJA no ensino remoto!


Quais são as principais dificuldades dos alunos da EJA no ensino remoto?


Os alunos da EJA são estudantes que, normalmente, ficaram algum tempo afastados da escola. A decisão de retomar os estudos, já no fim da adolescência ou na vida adulta, vem pelas demandas do mercado de trabalho ou pelo desejo de realização pessoal.

A maioria deles tem responsabilidades além dos estudos, como o trabalho e a família. Por isso, suas dificuldades são diferentes das dificuldades de crianças e adolescentes na escola regular.


Confira abaixo algumas delas:


Falta de acesso

A primeira dificuldade dos alunos da EJA em época de ensino remoto é a mesma que muitos alunos, de todas as etapas de ensino, vêm passando no último ano: a falta de acesso.


Muitos dos alunos têm acesso limitado à internet em casa. Para a maioria, o celular é o único meio de acessar a rede, e a conexão nem sempre é Wi-Fi.


Em alguns casos, o aluno da EJA não ficou apenas afastado dos estudos por um período de tempo. Muitos, nesse momento, também não se atualizaram no meio tecnológico, e não sabem usar programas comuns para escrever textos ou fazer apresentações.


Problemas de comunicação


Por não estarem acostumados ao meio virtual, muitos alunos da EJA preferem o contato cara a cara com os professores. Eles se sentem mais confortáveis para fazer perguntas e tirar dúvidas.


Em casa, eles também precisam se dedicar a outras responsabilidades. Por exemplo, alguns precisam dividir o tempo das aulas com o cuidado dos filhos. Nesse cenário, como é possível prestar atenção no que o professor está explicando?


Diminuir a distância dos alunos no ensino remoto é possível. Saiba como!


Falta de estrutura


Aulas à distância costumam exigir uma certa capacidade autodidata dos alunos. E não são todos os estudantes que conseguem fazer isso, particularmente na EJA, onde muitos já não estudavam há algum tempo.


Os alunos da EJA já se sentem afastados do ambiente escolar e tentam se readaptar diariamente em sala de aula. Mas as aulas regulares oferecem uma estrutura organizada que o ensino remoto não tem.


Identificar lacunas de aprendizagem será essencial para continuar com as aulas. Leia nosso post sobre o assunto!


Como consequência dessas dificuldades, muitos alunos dessa modalidade ficam com problemas para aprender, resultando na queda de desempenho e, em alguns casos, na evasão.


Como auxiliar os alunos da EJA no ensino remoto?


Ainda que as dificuldades dos alunos da EJA sejam muito particulares, sua escola pode ajudá-los. Confira como a seguir:


Mantenha a comunicação


É importante que o aluno saiba que pode contar com a escola e com os professores. Mantenha os canais de comunicação abertos para eles, seja por mensagem, e-mail ou mesmo ligações.


Uma boa ideia é ter um horário de plantão por WhatsApp com cada professor. Assim, os alunos podem tirar suas dúvidas sobre as matérias.


O WhatsApp pode ser um bom aliado dos professores nesse momento. Venha saber mais!


Ofereça materiais variados


Como vimos, a falta de acesso a uma boa conexão pode tornar as aulas ao vivo muito difíceis de acompanhar. Mesmo aulas gravadas podem se tornar uma dificuldade caso o aluno não consiga fazer o download.


Por isso, é uma boa alternativa oferecer explicações e atividades em texto, imagens, questionários e outros materiais mais simples. O mesmo com os áudios, que são menos pesados e mais fáceis de baixar do que vídeos.


Com materiais variados, o aluno pode aprender por vários meios. E, principalmente, passa por menos frustrações.


Diminua as expectativas


O ritmo dos alunos vai mudar completamente no ensino remoto. Isso vale para a EJA, para faculdades e escolas regulares. Aprender em sala de aula é muito diferente de aprender no ambiente remoto.


Por isso, reajuste o currículo, diminuindo as expectativas. E espere pelo momento da volta às aulas presenciais: eles vão estar prontos para recuperar a matéria.


Quer saber mais sobre educação e ensino remoto? Acesse o blog da Faz Educação e confira nossos posts!



700 visualizações0 comentário