4 atividades que ajudam no processo de alfabetização

Os processos educacionais devem prever táticas para a construção da igualdade, inclusive em aprendizagem. Veja dicas para a alfabetização.

O momento da alfabetização é um dos mais importantes na vida de uma criança, pois da compreensão da língua escrita depende de toda a compreensão de como uma cultura se expressa a partir de suas próprias ferramentas, como a literatura, a música, a arte.


Assim, voltar as atenções para esse momento é fundamental, sendo necessário, para que o processo de alfabetização ocorra, a mobilização de atividades que possam preparar uma criança para essa imersão.


Hoje vamos tratar, na prática, de atividades que ajudam no processo de alfabetização e que podem ser conduzidas de forma divertida e lúdica pelos familiares, utilizando recursos que a criança mesmo conhece.


Por meio dessas atividades podemos introduzi-la no processo de aprendizado da sua língua escrita, e transformar a alfabetização em um momento divertido para a criança.


Saiba mais: Dicas de atividades de Educação Infantil no ensino remoto


1 - Trabalhe com palavras em divisão silábica


A criança é por si só um agente da nossa língua e quando o processo de alfabetização começa, ela já tem um vocabulário extenso em nossa língua, permitindo que essa atividade possa ser realizada.


Comece dando a ela uma palavra de duas sílabas, tal como “ca-sa”. Depois, peça a ela que repita uma palavra começando também com “ca”.


Dessa atividade simples, podemos derivá-la para uma atividade mais complexa, pedindo palavras cada vez mais longas.


Por meio dessa atividade, a criança pode compreender de que forma as palavras se estruturam e, ainda, quais são aquelas que possuem forma similar, o que garante um grande ganho no momento da alfabetização.


Além disso, ela passa a compreender que as palavras possuem um ritmo falado, que obedecerá, por sua vez, a separação das sílabas, de forma geral.


Por fim, essa atividade também contribui com a ampliação do vocabulário da criança, permitindo que ela possa conhecer diversas palavras por meio da ajuda dos familiares.


Isso contribuirá com uma compreensão de mundo diferenciada, além de ajudar nos momentos em que ela se deparará com desafios na escola.


2 - Promova uma atividade com rimas


Se a primeira atividade se voltava para a primeira sílaba das palavras, a segunda se volta para as últimas sílabas, promovendo um certo tipo de batalha de rimas.


Essa atividade contribui com a compreensão de que as palavras possuem som semelhante e que por possuírem esse som semelhante, têm uma estrutura parecida.


Incentive-a, portanto, a buscar por palavras curtas, como “panela” e “canela”, “não” e “anão”.


Outra forma de trabalhar com as rimas é buscar livros de poesia voltados para crianças, como aquelas que contam poesias ou mini estórias para ninar.


Por meio dessas ferramentas será possível ampliar a compreensão que a criança tem das palavras, a forma como elas se estruturam e, ainda, de aumentar seu repertório de novas palavras.


Isso contribui, no momento das aulas, com um melhor desempenho no tocante à forma como as palavras se estruturam e a sonoridade específica de cada uma.


Saiba mais: Acolhimento: a ferramenta da BNCC na Educação Especial


3 - Observação das sílabas tônicas


Ainda que possa parecer a atividade mais complexa de todas essas que estamos a nos aprofundar, saiba que a tonicidade das sílabas é natural da língua falada e estudá-la junto às crianças é completamente possível.


Essa atividade contribui com a compreensão da estrutura das palavras escritas, o que depois irá ser decisivo para o aprendizado da acentuação, por exemplo.


Parta das palavras que denominam os objetos que fazem parte da vida da criança, como “ma-ra-cu-já”, “ca-pi-tão”, “ár-vo-re”, “a-bó-bo-ra”, “la-ran-ja”, “ba-na-na” e peça a ela que bata palmas quando identificar que a sílaba mais forte foi falada.


Para isso, é claro que você deve falar pausadamente e repetir a palavra completa algumas vezes.


4 - Repetição silábica para alfabetização


Essa atividade busca fazer com que a criança possa identificar o som que um conjunto de letras pode formar.


Comece falando palavras aleatórias e que façam parte do vocabulário da criança e peça a ela que bata palmas quando identificar palavras que comecem com o mesmo som, tal como “co-mida” e “co-co”, ou “ca-chorro” e “ca-marão”.


Saiba mais: BNCC e Ensino Médio: como se adequar?


A Faz Educação pode mantê-lo informado sobre as novidades na educação. Acesse nosso blog para saber mais!


Aproveite hoje o acesso liberado de todos os nossos Materiais Educativos Exclusivos!

287 visualizações0 comentário